terça-feira, agosto 22, 2006

S.MARTINHO DO PORTO



Outro dia ao passar por S. Martinho do Porto apreciei as construções indiscriminadas que se têm feito naquela terra e ao longo da baía. Cada uma parece de sua “nação” e estilo e, esteticamente, uma pior que a outra. É caótico andar naquele lugar de carro ou a pé: tudo é pó, improviso, com aspecto de provisório e desconfortável.
S. Martinho parece que perdeu a oportunidade de ser abordada como merece e restaurada para beneficiar quem lá vive , trabalha ou procura o lugar para lazer. Foi a partir do que vi que recordei este antigo desenho, editado em 1995, no Jornal Voz de Alcobaça. Então, não imaginaria que a crítica a um fenómeno tão generalizado entre alguns portugueses, como a CORRUPÇÃO, fosse motivo de sobressalto para um personagem com responsabilidades politicas locais, e que este viesse perguntar ao director do jornal se a crítica era dirigida a alguém em concreto no elenco camarário. Eloquentemente o Drº. Basílio Martins, director do JVA respondeu que não.

Isto a propósito da construção desenfreada ter tomado conta daquela terra, tornando-a um dédalo urbanístico descaracterizado, sem categoria e, onde não há respostas visíveis aos verdadeiramente problemas de S. Martinho. Releio os jornais locais as primeiras páginas revelam ilegalidades de actas, provisões cautelares sobre construções, rio poluído, ilegalidades no parque de campismo…and so one, so one! Afinal que se passa naquela terra que é feudo do PSD há tantos anos e com as actas da junta de freguesia?! Será a construção desordenada, desintegrada um sinónimo de benesses aos construtores em troca de patrocínios eleitorais? OU A UM SÓ CONSTRUTOR? Quem financia, naquela freguesia, as campanhas eleitorais e em especial as campanhas autárquicas do PSD?

Possivelmente haverá muita corrupção por denunciar e também muito jornalismo sério e independente por fazer.

SERÁ QUE OS PROBLEMAS QUE O DESENHO E O TEXTO FOCARAM EM 1995 SÃO UMA CARACTERÍSTICA DAQUELE LUGAR E DE CERTOS POLíTICOS NA ACTUALIDADE?????

3 comentários:

Sol Nascente disse...

Falando em S. Martinho do Porto... várias questões se mantêm em aberto há demasiado tempo.
Há algun tempo chegou ao meu conhecimento que, apesar de os bungalows que se encontram no parque de campismo, em frente da baía, propriedade da Junta de Freguesia, estarem qualificados com alojamentos amovíveis, é espantoso que alguns deles estejam apetrechados com cave e sub-cave e sirvam de alojamento permanente.
Afinal de que tipo de habitação se trata??!!!
É, ainda, voz corrente pelos residentes de S. Martinho, e confirmado por algumas pessoas que fazem parte do elenco de eleitos para o orgão autárquico da terra, que aquele parque de campismo "produz" lucros avultados. Mas, ironia do destino, ninguém sabe onde pára o dinheiro correspondentes a esses lucros. O certo, segundo afirmam, é que não entra nas contas da Junta.
Seria etica e políticamente correcto que a própria Junta ilucidasse sobre estas questões ou que as mesmas fossem verdadeiramente investigadas...
Será que o dinheiro de que se fala tem como destino contas privadas, paraísos fiscais ou qualquer outro?!
Vale a pena investigar....

Antonio Delgado disse...

Estimado SOL NASCENTE,
obrigado pela sua observação. Francamente que não sei nada do que questiona, mas o facto do parque de campismo de S. Martinho do Porto, surgir muitas vezes nos jornais por alguma coisa será e, a serem verdadeiras as dúvidas que levanta, não sei porque não se actua em conformidade.
Parece que em Alcobaça e, passados tantos anos de ter havido a desamortização dos bens religiosos e a implantação da República,ainda se vive a lei do Abade Mor e de quem se acoita lá. Por outro lado não sei o que andam os partidos e os politicos da oposição a fazer, se assim se podem designar. A minha observação em relação a S. Martinho é uma observação baseada naquilo que qualquer cidadão, com sentido comum, vê e sente e, aguçado pelas noticias que, desde há muito, jornais como o Expresso, Público, DN ,Correio da Manhã, revistas como a Grande Repostagem ou comentadores como Eduardo do Prado Coelho, entre outros, comentam.

lucia duarte disse...

e alguem me sabe explicar porque é que só se desenvolvem as regiões de S. Martinho(onde o sapinho tem casa de praia), Benedita (onde tem a sua casa, o seu escritório e os seus negócios), turquel(de onde é a vereadora da cultura)?
Coincidências? talvez sim, ou talvez não, mesmo assim, são demasiadas coincidências...
pergunta legitima - Dr Sapinho, quer vir morar para aquelas casas tipicas de Aljubarrota e a cair por falta de uma lei que obrigue à sua manutenção? e quer vir morar para a rua direita onde os paralelos estão em tal estado que as pessoas caem e escorregam?ou quer vir banhar-se na piscina que o presidente da junta de S. Vicente prometeu construir na freguesia?
Nós até suportavamos a sua presença, desde que isso fizesse evoluir as freguesias e, em particular a vila....