terça-feira, abril 24, 2007

25 DE ABRIL SEMPRE



PARA QUE A MEMÓRIA NÃO SE PERCA.
25 DE ABRIL SEMPRE

10 comentários:

Ludovicus Rex disse...

Abril, Será Sempre Recordado!
Viva o 25 de Abril! Viva a Liberdade! Viva Portugal!

rui disse...

Lembrar Abril é fortificar a liberdade

Jose Gonçalves disse...

25 de Abril será como o Natal
Sempre que um homem quiser
Viva a Liberdade

mile disse...

Muito foi feito nestes 33 anos após o 25 de Abril. O programa de ontem de António Barreto foi elucidativo de algumas mudanças profundamente promotoras de justiça e igualdade. Muito, muito, continua por fazer relativamente a esta aprendizagem de como deve ser o viver em comunidade e em democracia. A sua última postagem sobre Alcobaça mostra-o bem. Mas é o povo, com o seu voto, quem elege os autarcas e estes, também fazem parte deste povo que continua com uma espessa venda nos olhos que artigos como os seus, podem ajudar a remover.
Os portadores de boas novas nunca foram muito bem tratados... por isso coragem!

Luis Moutinho disse...

25 de Abril, sempre!

LLUVIA disse...

¡Me uno a vosotros en la celebración del 25 de Abril, en la celebración de la libertad!

ANTONIO, te invito a que nos muestres algún lugar bello de Portugal.
No te sientas obligado, si no puedes lo entenderé. Pero si quieres participar, pásate por mi blog.

Besos amigo

papagueno disse...

25 de abril sempre, para que a memória não se perca.

Freyja disse...

Antonio
un feliz 25 de de abril, abrazando a Portugal y la libertad
Besitos


besos y sueños

ORTOGAL disse...

Não sabemos se haverá ingenuidade em desejar moral na política e se não terá havido em qualquer nação governantes em que o carácter e a dignidade pessoal tenham julgado de seu dever entrar também na vida pública, regrando processos de administração. Não sabemos. O que sabemos é que a desordem e imoralidade políticas têm um efeito corrosivo na alma das nações. E o abastardamento do carácter nacional não pode deixar de influir no desenvolvimento e progresso de um povo, sob qualquer aspecto que o queiramos considerar".

Oliveira Salazar, O Ágio do Ouro, 1916

PS: O pior de tudo será o preconceito?

A. João Soares disse...

Caro António Delgado,
Agradeço a sua visita e comentário ao António Costa e a Democracia, no Do Mirante. Ali, depois de interpretados todos os comentários feitos até agora, verifica-se que poucos compreendem os conceitos de Democracia e de Liberdade, havendo dentro da maioria dos portugueses um ditador, talvez pior do que o do regime anterior. Após 33 anos, ainda não se aprendeu a viver em democracia. «Amar os outros como a nós mesmos» não é odiar quem é diferente, quem pensa diferente. Liberdade é permitir que os outros sejam livres desde que não prejudiquem a nossa liberdade. O futuro de Portugal, com pessoas tão exclusivistas não parece seguro. Cabe a todos os bloguistas ajudar a esclarecer o povo.
Um abraço
A. João Soares