domingo, agosto 26, 2007

O GRANDE EVENTO MUNICIPAL






A feira de S. Bernardo é um dos momentos da vida alcobacense que deveria ser um dos mais altos da vida do concelho, em que todos se revissem e de que se orgulhassem. Ao contrário é um dos momentos mais atávicos que os representantes do poder local oferecem aos munícipes e visitantes, apesar de não se cansarem de dizer que pretendem um concelho moderno do século XXI e que alberga uma das sete maravilhas de Portugal. como se pode ver, alguém anda a enganar o povo, uma vez que a bem dita feira é afinal bem representativa de uma Alcobaça pré- CEE e EXAGERADAMENTE provinciana, saloia e PIMBA. Apesar disso o município teima orgulhosamente em manter esta vergonha por enquistada que está na mentalidade saloia do dr Sapinho, e seus seguidores pimbas, bem como na de uma vereadora ignorante como poucas, que é também a personificação de uma mentalidade de garrafão, tremoços e pé-descalço como atestam as imagens que seleccionamos.
Esta ESCOL camarária que (dês) governa o concelho de Alcobaça é A VERDADEIRA IMAGEM DE MARCA DE UMA TERRA, que pelo esforço dos seus actuais governantes, permanece TOTALMENTE BLOQUEADA, DESFASADA NO TEMPO, FECHADA, AUTISTA, SEM SOLUÇÔES, DESNORTEADA E EXAGERADAMENTE INCULTA.

8 comentários:

Maria Faia disse...

Olá António.

Deixei-te um miminho no Querubim.

Uma semana feliz para ti.

Ema Pires disse...

Estive a ver as fotografias dessa festa alcobacence e, francamente, dá a impressao de um mercado de um país pobre e em vias de desenvolvimento (é o que se diz agora, nao?). Nem em Marrocos vi algo assim, e sei do que falo; parece que têm mais sentido estético, e peço desculpas por ser tao franca.
Bjs

Jorge Casal disse...

É isso a que chegou a Feira de São Bernardo? Qualquer espelunca tem mais qualidade do que isso. Prefiro a Feira do Relógio, as Lojas dos Trezentos, os Mercados de Ciagnos, as Lojas dos Chineses. Esses mercados sempre têm mais animação e não são etiquetados como «municipais» nem inaugurados por ninguém, para além de funcionarem em permanência. No entanto, eu pergunto: Alcobaça não merecia muito, mas muito mais, e incomesuravelmente melhor? Onde estão a indústria, a agricultura, as artes, as técnicas, o artesanato, os saberes populares do concelho? Pelintrice., é o termo que me vem à ideia.

Sophiamar disse...

Passa pelo meu blogue. Tens l� um certificado. N�o precisas fazer nomea�es. Cola-o no teu blogue.
Obrigada por tudo quanto me tens dado.

Beijinhos

o moço da bodega™ disse...

Meu caro Antóno. A bodega convida-lhe a se fazer presente ao “arranca rabo” sobre mostrar ou não imagens fortes da invasão Bushiana ao Iraque.
Sua opinião, bem como, a dos seus visitantes é de suma importância para o exercício pleno da democracia.

Abraços

Um Momento disse...

Olá!!
Deixei eu um Miminho na minha casa ... para ti
Beijo ... bem aí:o)))
(*)

al cardoso disse...

Tal como eu, o meu amigo defende uma maior e mais desenvolvida vila, (ou ja e cidade) sem esquecer a cultura e a modernidade.

Um abraco d'Algodres.

lucia duarte disse...

não será por isso que, nós os artesãos já não queremos participar'
é que, as nossas artes não podem, nem devem, ser misturadas com palhaçada.
a feira de S. Bernardo tornou-se num mercado à moda da feira do relógio.
Artesanato é, ou deve ser, a união de um conjunto de artes de saberes e não se devem misturar com cuecas e meias que se vendem ao molho.
o pelouro da cultura já não tem só falta de conhecimento ao organizar eventos - está a passar-nos um atestado de burrice!
coitado do S. Bernardo! nunca deve ter pensado vir a ser, um dia, o santo das cuequinhas de Alcobaça!!!!