domingo, outubro 21, 2007

"CLICHES" DA NOSSA REPÚBLICA

( legenda do cartaz: DESPERTEM CHEIRA A FACHISMO)

A vida politica portuguesa vai dando sérios sinais de perturbação, em termos de liberdades. Agora é o PGR quem afirma ter duvidas se o seu telefone não esta em escuta e a Ordem dos Advogados já reagiu. Estas afirmações não passariam de curiosidade se em paralelo não estivessem acompanhadas com outras relidades que em meu parecer são extremecedoras e parecem ultrapassar a razoabilidade num Estado Democrático .


De um bom amigo recebi este mail que reproduzo com a sua devida autorização.


"Gostava de ter visto a cara do (ainda) ministro Santos Silva ao ter que ouvir esta dedicatória do jornalista precário João Pacheco, feita com grande coragem e dignidade, que (ainda) não foi alvo de qualquer queixa judicial ou alvo de processo disciplinar.
O “precariado” é a nova classe de trabalhadores criada pelos governos que se alternam e eternizam no poder PS-PSD/CDS, tal como o protagonizaram no estertor da monarquia e no advento da República, os então Partidos Democrático e Regenerador.
A prática política deste sistema alternante cavou “masmorras” aos mais pobres face aos mais ricos, diz o INE.
Neste indicador e em índices de pobreza somos infelizmente os primeiros na Europa.
Uma vergonha que nos envergonha e responsabiliza a todos, enquanto cidadãos.
O escândalo da distribuição da riqueza e o índice de pobreza no nosso País são uma vergonha nacional. E um ultraje à República
".




No passado dia 25 de Setembro, decorreu no Convento do Carmo, em Lisboa, a entrega dos Prémios Gazeta, do Clube de Jornalistas. Nesta cerimónia, presidida pelo Presidente da República, João Pacheco foi um dos premiados, tendo proferido um discurso que louvamos
e que é apresentado de seguida.

"Obrigado. Obrigado à minha família. Obrigado aos jornalistas Alexandra Lucas Coelho, David Lopes Ramos, Dulce Neto e Rosa Ruela. Obrigado a quem já conhece "O almoço ilegal está na mesa", "A caça à pedra maneirinha" e "Guardadores de sementes".

Parabéns aos repórteres fotográficos Nuno Ferreira Santos e Rui Gaudêncio, Co-autores das três reportagens, com quem vou partilhar o prémio monetário. Parabéns também ao Jacinto Godinho, ao Manuel António Pina e à «Mais Alentejo», que me deixam ainda mais orgulhoso por estar aqui hoje.

Como trabalhador precário que sou, deu-me um gozo especial receber o prémio Gazeta Revelação 2006, do Clube dos Jornalistas. A minha
parte do dinheiro servirá para pagar dívidas à Segurança Social. Parece-me que é um fim nobre.

Não sei se é costume dedicar-se este tipo de prémios a alguém, mas vou dedicá-lo: A todos os jornalistas precários.

Passado um ano da publicação destas reportagens, após quase três anos de trabalho como jornalista, continuo a não ter qualquer contrato. Não tenho rendimento fixo, nem direito a férias, nem protecção na doença nem quaisquer direitos caso venha a ter filhos.

Se a minha situação fosse uma excepção, não seria grave. Mas como é generalizada - no jornalismo e em quase todas as áreas profissionais - o que está em causa é a democracia.
E no caso específico do jornalismo, está em risco a liberdade de imprensa.

Obrigado, João Pacheco"




Todo o comentário educado e bem disposto é muito bem vindo.

70 comentários:

Kalinka disse...

ANTÓNIO DELGADO
...todo o comentário educado e bem disposto é muito bem vindo...
lendo isto, digo que...em relação ao meu comentário...faço o melhor que posso!!!
Por norma não comento posts relacionados com a política interna do País, daí...que...

Continuação de bom domingo.
Beijitos.

NOTA: se quiser espreitar, veja a letra G.
Continuo com o alfabeto.

A. João Soares disse...

Caro Amigo António Delgado,
Um bom post. O «precariado» é um dos sub-produtos da bagunça em que Portugal está a viver, ou sobreviver.
E conveniente que surjam muitos gritos como este que se aponte o dedo à ferida até que esta comece a ser tratada e se cure.
Receio muito que as palavras não sejam suficientes e que sejam necessárias manifestações de rua sempe que surgir um pretexto válido. E estes não faltam.Um abraço

ANTONIO DELGADO disse...

Amiga Kalinga,

aquela minha afirmação surge apenas devido a comentarios que tive de apagar devido a serem difamatórios a quem se referem e também por me ofenderem. De qualquer forma o seu comentario é sempre bem vindo sendo de teor politico ou não. Este espaço pretende ser o mais heterogéneo possivel. A postagem pode ter marcamente cariz politico, mas como cidadão, quando vejo a liberdade de expressão ser ameaçada, uma cidadã que tem um cancro ser obrigada a trabalhar e vemos pessoas sem nenhuma doença que não seja a ociosidade receberem milhares de euros de reforma, apenas por terem exercido determinado lugar por nomeação de governos, acabamos (eu acaba) por verificar que há injustiças e muitas neste "solialismo moderno" que nos governa . Mas o que referi é o meu ponto de vista e é, muito legitimo o seu de não comentar politica...pode cre que não é por isso que deixamos de ser amigos.

Um abraço e obrigado pela visita.
António

Ps.Estou envolvido num parecer que é eleborado e tem de estar pronto na próxima semana. Depois irei ao Kalinka com calma e trazer o meu trevo que ainda não me esqueci!
continuação de bom fim de semana.

ANTONIO DELGADO disse...

Caro A.João Soares,
Se antes tinha algumas reticências elas começam a desvanecerem-se, com as noticas que vão surgindo...infelizmente!
Subscrevo tudo o que disse.

Um abraço.
António

zé lérias disse...

Há que estar cada vez mais atento, até mesmo com aqueles que dizem que não têm interesse em comentar críticas à política interna (fazendo como a avestruz).
O mundo está a voltar perigosamente ao tempo dos obscurantismos. Hoje é normal ouvir (até de jovens licenciados) que se há pobreza é porque as pessoas não querem trabalhar ou gostam da vida que levam. Estão a ver filmes a mais, para além daqueles que os canais de TV lhes dão e os jornais incentivam em todo o mundo, para não falar só do propalado filme "O SEGREDO" (Lei da atracção).
Um resto de Domingo bom para si, amigo António.

ANTONIO DELGADO disse...

Obrigado pela visita amigo Zé Lérias.

Ando realmente muito preocupado com tudo aquilo que se vai passando de forma impune neste jardim à "beira mar plantado" e como dizem " país de poetas". Tenho plena consciencia que há muita gente e boa que prefere enterrar a cabeça na areia para com aquilo que se passa na SOCRATILANDIA. não tenho nada contra até porque na história sempre foi assim. Tenho é com os outros aqueles que sentem na pele E no dia a dia, verem o seu salario minguar em quase 40% desde que este governo está no poder. e tentar com eles formas de luta para que a nossa vida seja minimamente digna e humanizada como deve de ser num estado de direito. Onde a justiça a saude e a educação funcionem e não esteja ao serviço apenas de alguns e quando se critica se saiba ouvir e não castigar quem ousa pensar d maneira diferente.
Um abraço e continuação de bom domingo
António

david santos disse...

Olá, amigo António!
Então hoje traz-nos o feudalismo?
Bem, para não ficar muito mal perante alguns comentários, com as minhas desculpas, claro, eu só vou dizer isto: feudalismo, o regime ou instituição feudal. Conjunto das leis e costumes, que regiam a ordem política e social numa parte da Europa, desde o século IX até ao fim da idade média.
A palavra feudalismo vem do baixo latim, feodum ou feudo, e o feudo é uma concessão territorial que um vassalo nobre obtinha de um senhor igualmente nobre, mediante certas obrigações. O feudo nasceu principalmente de duas instituições: o benefício e a recomendação. O benefício era uma concessão de terra obtida, o mais das vezes, como recompensa de certos serviços e com o encargo de cumprir certos deveres; primeiramente vitalícia, esta concessão tornou-se definitivamente hereditária depois da morte de Carlos Magno. Por isso, agora, 1200 (mil e duzentos anos) mais tarde, qual é a diferença?
Poderá aqui falhar alguma coisa, pois não estou com a história na mão nem utilizo o Word, mas devo andar por lá perto do antes da idade média.
É que estamos a falar de pessoas em termos educacionais e não só, oriundas daquela civilização. Por isso, estes “nossos” actuais, não estão a fazer outra coisa que não seja seguir as tradições dos seus antepassados...
Se não fosse por uma certa repulsa que estas coisas me causam, sinceramente, com os votantes que temos no nosso País, eu diria: acho muito bem.
É claro que esta minha última frase é irónica, mas... sinceramente...
Parabéns pelo texto e vá tendo paciência, porque com estes votantes, não dá para mais. Temos que recuar àquele século.

David Santos

Jorge Casal disse...

Fachismo por um lado, tachismo por outro!
As declarações do Procurador-Geral da Republica, Pinto Monteiro, ao Semanário «Sol» são graves. Não porque o «Boss» tenha o seu telefone sob escuta (isso nem seria muito grave porque, a partir do que disse nesta intervista não deve dizer ao telefone coisa que mereça escutadelas). O que é grave é que, sendo ele o responsável máximo da Justiça do Estado se venha queixar aos jornalistas de que a Justiça em Portugal seja como «o feudalismo (marqueses, duquesas, condes...)», que está acima da Lei, que não cumpre a lei,. etc. Bolas para estes governantes que vêm queixar-se aos de fora de que os seus subordinados não cumprem a Lei. Que está lá ele a fazer? Só pelo penacho do «Boss? Ou pelo tacho? Desapareça! Andor!
Face ao não cumprimento da Lei, o que é que os magistrados e os policias têm a mais do que qualquer cidadão? Porque é que o chefe da Justiça, que é o Procurador-Geral, não faz aos seus subrodinados o que qualquer chefe de repartição faz a quem não cumpre a Lei e as regras do trabalho - demissão ou expulsão pura e simplesmente,.. quadro dos supranumerários,... reforma compulsiva! Estão os magistrados e os polícias acima da Lei? Serão eles magistrados por direito divino? Bolas para este Estado Português da trampa?
Que dirá o Senhor Sócrates sobre isso? Limitar-se-á a ARREGANHAR OS DENTES DA ARROGÂNCIA - que é o seu modo de responder às cada vez degradadas condições de vida dos portugueses? (Rir perante tanta miséria e tanta injustiça é uma afronta Já não suporto a dentuça arrogante do Senhor Sócrates - como nunca suportei a dentuça estúpida do Senhor Guterres).
Já sabíamos que a Justiça é o pior serviço que temos em Portugal (o pior, sem nenhuma dúvida). Mas que o seu chefe seja aquilo que se revelou naquela entrevista, é de bradar aos céus. Bolas para o estado a que chegou este Estado de coisas...

Zé Povinho disse...

Tenho "batido" bastante em algum do mau jornalismo que há por aí, pelo que sería injusto não aplaudir os resistentes, que ainda se atrevem a confrontar o poder com realidades destas, sentidas na 1ª pessoa. Não sei se isto ajudará a resolver a situação precária, mas é mesmo preciso ter coragem para denunciar a situação.
Abraço do Zé

ANTONIO DELGADO disse...

Amigo David,

De facto é voltar ao medieval: é um regresso ao passado. Mas este blog tem no seu quadro de identidade falar tanto da “cultura passada como do presente”. E se isso se referia a Alcobaça, escrevi na postagem dos monges que o pais era uma enorme Alcobaça e de forma acelerada se assistia à sua “alcobacização”. Parece que não me engano. As pessoas em Portugal gostam mesmo de suserania e amochar e que andar como os burros com este tipo de políticos às costas ...Obviamente que uma ínfima parte não gosta!
Um abraço

ANTONIO DELGADO disse...

Caro Jorge
Gosto do titulo do teu comentário...são como as promoções publicitarias do dois em um.
DAS muitas vezes que conversamos de todas estas coisas, nos nossos passeios e nos rimos muito, mas a verdade é que a coisa esta mesmo preta e é mais grave do que parece. E temos de a levar a sério. Sobre o procurador fica-me a dúvida: que mensagem quererá fazer passar junto de um público que consome jornais? que ele está a denunciar uma realidade, que é inteligente e sabe ver as coisas e que as denuncia.Que a justiça é controlada por hierarquia...mas ele não é o conde não esta no topo ? E se nós disser-mos então que ele é um incapaz e não sabe por ordem onde devia além de afirmar e cito de memória “não tem medo de nada ou ninguém”. Que pais de opereta ou republica bananeira é esta onde o chefe da justiça é incapaz de por ordem em casa. De facto tal como disse António Arnaut "ela esta mesmo doente " senão moribunda. Como provam então as excelsas capacidade deste PGR... quanto aos “dentuças” ou melhor aos “gargulas” sabes bem a minha opinião.
Um abraço

ANTONIO DELGADO disse...

CAro Zé povinho o problema é serem poucos a terem este tipo de actitudes. Sabe que há uma relação muito promiscua entre a politica e o jornalismo. Muitos jornalistas acabam por ser nomeados assessores deste ou daquele politico...e assim vão vivendo de precaridade em precaridade e nós de pessimo jornalismo. Muito do mal que se passa no País a alguns destes profissionais se deve...aos maus!

Um abraço
António

quintarantino disse...

Temos homem. E mais não digo.

lucia duarte disse...

oh antónio, nós não somos uma infima parte, pois não?
e lutar, mostrar o que está mal, a podridão das politiquices e dos politiqueiros tem de ser a nossa bandeira.
Vamos - cabeça erguida e garras de fora!
e são sempre benvindos os que, nesta luta pela verdade têm frontaliade de denunciar e não têm medo de represálias

ANTONIO DELGADO disse...

Amigo Tarantino,
obrigado pela sua visita. Irei de imediato fazer um link para o seu espaço.

Um abraço
António

ANTONIO DELGADO disse...

Boa amiga Lúcia,
Apenas tento contribuir, como muitos outror, para que não se veja Portugal a preto e branco como um filme de carateristicas do REALISMO ITALIANAO, dos anos quarenta. Todos seremos poucos para que isso não aconteça.

Um abraço e obrigado pela sua visita.
António

Savonarola disse...

Caro António Delgado,
Gostei do post. Demonstra claramente a generalização do trabalho precário, que se verifica, não só em Portugal, como no resto do mundo, despersonalizando a pessoa humana. Trata-se de uma necessidade do sistema neoliberal em que vivemos, que procura reduzir os custos em mão-de-obra para garantir o lucro.
Procuram-se alternativas...
Saudações cordiais

ANTONIO DELGADO disse...

É essa a ideia e está muito bem denuncida por este jovem jornalista ganhador do prémio Gazeta Revelação. A desumanização da nossa relação com o trabalho está ai, com os consequentes efeitos de saude mental na população que isso possa acarretar. Os jornais já vão fazendo ecos disso. Dos Estados Unidos donde este sistema foi importado parece que já não funciona e é um mau exemplo reproduzi-lo... a pergunta será então porque o aceitamos? ou porque temos a necessidade de mimetizar praticas que sabemos não serem boas, além de começarem a ser descartáveis? Será para dizer-mos ( os politicos) que estamos com os paises da linha da frente...triste sina a de mentir!
...O problema são precisamente as alternativas: Onde param elas?

Um abraço
António Delgado

Siry disse...

Que bom post.
Realidad en Portugal y en muchas partes.
En mi país existe libertad de expresión pero si dices algo que no agrada al regimen pasas a ser enemigo.
Un abrazo y un saludo especial a todo Portugal

ANTONIO DELGADO disse...

Hola Siry,

Si tienes razón. Esto que está pasando en Portugal tambien pasa en otros lugares, pero aqui todavia tenemos una história un poco amarga de este tipo de gobiernos autoritários: no los queremos... yo no quiero! la libertad de expressión parece estar amenaçada porque el critico es persona no grata...no es trigo bueno.
Un abrazo tambien muy especial para venezuela.
António

Tiago R Cardoso disse...

Muito bom, palavras muito bem ditas, ainda bem que se começa neste país a se dizer exactamente o que se pensa e na altura certa.

Jose Gonçalves disse...

Olá António
Há muito que não vinha por aqui, mas estou de regresso.
Então mesmo nas condições em que o nosso homenageado se encontra, ainda se lembraram dele?
Extraordinário.
E protestamos? Ficamos admirados?
Mas nós até temos culpa que estas coisas aconteçam... ou não temos?
Um abraço José Gonçalves

Arte & Liberdade disse...

Abrir o zip....
Copiei-te o neoclássico do post anterior. Depois abri-lo-ei a propósito do 22 Out.
Nas minhas costas, um quadrado, blá...blá blá...blá sobre a pobreza económica.
A pobreza de espírito é tabú.

Bú... Bú ... Bú... suspirou o último dos neandertal!

quintarantino disse...

Hoje no Notas Soltas, há falatório sobre portáteis a 150,00€.
Amanhã, há Silêncio Culpado.

ANTONIO DELGADO disse...

Olá Tiago R Cardosos,
pelo menos tenta-se falar o problema será ter quem nos escute.

Um abraço
António

ANTONIO DELGADO disse...

Viva José Gonçalves,

tenho estranhado a sua ausencia mas bom regresso. CULPA!?...se temos!

Um abraço
António

ANTONIO DELGADO disse...

Ola LQ (Arte& Democracia)

o pobreza de espirito é pior porque não deixa ver a outra.

ANTONIO DELGADO disse...

Obrigado quintarantino,

Já passarei...Até já.

Maria disse...

Pois, pois, liberdade de expressão. Agora que a temos deixamos que a usem para nos poupar trabalho... Há que denunciar com força estas situações, há que repensar a nossa capacidade de dizer e escrever o que pensamos e todos temos o direito de ter opiniões diferentes. Sempre. Sem clausuras. Sem medos. Sem regressos...

Um abraço.

ANTONIO DELGADO disse...

Cara Maria, obrigado pela visita e o esclarecido comentário e só tenho a dizer que o subscrevo totalmente
Um abraço
António

Crítica e denúncia disse...

Antonio, eu reconhci que foi erro meu a falta do seu voto e,muito feliz venho participar a você que seu blog e você são membros fundadores do projeto S.O.S Miséria. Façamos uma corrente dandos as mãos e colocando todo o nosso carinho neste trabalho. Parabens ! Preciso urgente do teu email. Com beijinho de Alda.

ANTONIO DELGADO disse...

Já entreguei Alda espero que esteja tudo em ordem...força!
Bjs
António

david santos disse...

O caso Cláudia, não está perdido. Mandem Mails a esta gente e não só:

geral@embaixadadobrasil.pt

Temos que ser solidários com a menina Cláudia.

Pede a outros blogues que façam o mesmo.

ANTONIO DELGADO disse...

Caro David,
Farei já um mail para a situação.
Um abraço
António

O Guardião disse...

Temos muito mau jornalismo e muito trabalho precário. Estranhamos quando um jornalista levanta a voz e denuncia estas coisas, mas gostava ainda mais que não fossem apenas excepções.
Cumps

Fernanda e Poemas disse...

Olá António,grata pela tua visita.
O que acabei de ler são questões muito pertinentes da nossa sociedade.
Parabéns.
Beijinhos,
Fernandinha

ANTONIO DELGADO disse...

Viva cAro Guardião
é verdade que é assim como diz e seria mais importante para todos nós que este discurso não fora uma excepção.

Um abraço
António

ANTONIO DELGADO disse...

Fernanda e poemas
obrigado pelo visita e pelo comentario deixado e irei fazer de imediato um link do seu espaço.

um abraço cordial
António

Fernanda e Poemas disse...

Olá António, grata pela visita,
quando tiveres tempo vê a fotografia anterior, e vais compreender melhor.
Amigo tenho gostado muito das tuas visitas e comentários, obrigada de todo o coração.
Muitos beijinhos,
Fernandinha

ANTONIO DELGADO disse...

Bom dia Fernanda, depois passo para ver com calma.

Abraço
António

sveronica disse...

Olá Antonio,
Eu me sinto um peixe fora dágua, visto que...ou seria uma sereia?
De qualquer forma, mesmo vindo de longe e não tendo base para comentar teus escritos, eu quero agradecer pela tua presença tão querida em minha casa. E por teres estado em minha festa no Menina do Rio. Pena que o bolo era virtual...
Fica bem com um beijinho meu

J.G. disse...

Diz muito bem o jornalista!

Mostra coragem e solidadriedade por todos os que estão nas mesmas concições de precaridade laboral na sua classe.
E é muitas vezes a falta desse sentimento de unidade que permite o mais fácil repúdio dos governantes pelos direitos fundamentais dos trabalhadores num Estado que se reclama de moderno, justo e mais equitativo na distribuição das riquezas.

Esteve bem o João Pacheco, como bem esteve o PGR, que parece começar a tornar-se uma figura incómoda para certos sectores.

Abraço.

Nilson Barcelli disse...

O PGR é um ingénuo.
Primeiro, porque falou de suspeitas de escutas por causa de "estalinhos". Se tinha dúvidas, poderia mandar investigar. Para além disso poderia estar a falar com alguém a ser alvo de escutas... Concluindo, devia ter ficado calado.
Segundo, se o MP é uma bagunça, cabe a ele resolver a situação, pois ele é o responsável do pelo MP.

O jornalista, que diz piadas fáceis, tem uma alternativa: se não quer ser precário, que bata com a porta e procure outro emprego.
Ou será que apesar do prémio não tem onde cair morto? Se é assim tão bom, não faltará quem lhe queira deitar a mão...

Um abraço.

Meg disse...

O trabalho precário está aí para durar, caro amigo. Já se instalou e temo que "nada" haja a fazer ou...
Liberdade de imprensa? Estaremos a caminhar para 1972?
Também temo que sim. Infelizmente.
Gritemos e alertemos.

Um abraço

♥≈Nღdir≈♥ disse...

Olá
Agradeço a visita o comentário no fantasy :)
Simpatia retribui-se :)
Beijinhos

Menina do Rio disse...

Linda a tua visita também ao meu Recanto!
E, como diz a Nadir, Simpatia retribui-se!
Cá estou com meu sorriso e um beijo de boa noite!

sveronica
Recanto da Alma

Menina do Rio disse...

Gracias pelo comment deixado no meu Fotografias. Tive que moderar os coments por conta de um ou outro inconveniente; espero que compreenda.

Mais um sorriso e um beijo no teu olhar

ANTONIO DELGADO disse...

Sveronica,

sobre a sua pergunta deixo a resposta ao seu critério.

Reconheço que o tema do post é muito localizado e é necessário estar ao corrente da vida politica portuguesa nestas ultimas semanas.Gostei da sua visita e para mim foi um enorme prazer felicita-la num dia tão especial.

Obrigado pela visita.
Bjs
António

ANTONIO DELGADO disse...

Caro JB

subscrevo a sua observação sobre os jornalistas, mas sobre o PGR tenho as minhas reservas. Parece-me que foi infeliz na entrevista ao semanário Sol. Sendo o responsável maximo pelo MP não deve, em meu entender, dizer em publico, os males que sofre a instituição que dirige e não actuar em conformidade. A entrevista é mais do que suficiente para deixar os cidadãos preocupados. Não vejo ou melhor, não vislumbro, qual a intenção daquilo que pretenda alcançar...no entanto irei aguardar pelo desenrolar da novela.

um abraço.
António

ANTONIO DELGADO disse...

Estima Meg.

As suas preocupações são objectivamente a principal razão desta postagem.

um abraço
António

ANTONIO DELGADO disse...

Nadir,

obrigado pela sua visita e é com muita SIMPATIA que dou as boas vindas e este meu lugar.

cordialmente
António Delgado

ANTONIO DELGADO disse...

Menina do Rio,

é com simpatia que a volto de novo a receber aqui no Ecos.

um beijo de boa noite e outro de bom dia para a manhã.
António

ANTONIO DELGADO disse...

Menina do Rio,

é um album muito bonito e muito biografico e estimo que o partilhe. Nunca ninguém me beijou no olhar, agradeço essa simpatia com o sorriso da minha foto.

tudo do melhor para si.
António

ANTONIO DELGADO disse...

Olá Nilson Bercelli,

Sou da mesma opinião em relação ao PGR...não vejo nas suas palavras senão isso: ingenuidade! Há momentos menos claros que todos temos...Este, o da entrevista do PGR, poderia ser o dele! Dizer que está mal o MP quando ele é o principal chefe parece-me que não é de brilhantismo intelectual... já veremos o que passa.

No aspecto dos jornalistas, não estou tão de acordo porque conheço um pouco o meio. E sei, pela boca de alguns amigos que são jornalistas e caras conhecidas, da TV que a profissão anda mesmo muito mal. Segundo eles há cada vez mais uma "proletarização" e um desafecto à profissão.As redações são uma passerele de estagiarios (as) que interessam aos monopólios da comunicação porque gastam menos dinheiro, contratando por meses quem necessita de fazer curriculum. E nos casos mas concretos há uma tendencia para o "freelancismo", onde se engloba a precaridade do jornalista premiado . Ir para esta ou aquela redação não resolve, porque parece que há uma convenção entre elas para manter este status quo.

um abraço
António Delgado

al cardoso disse...

Pois e, assim vai a nossa republica que devia ser era "Res-publica"!!!

Um abraco d'Algodres.

ANTONIO DELGADO disse...

Pois sim Amigo Al Cardoso. Ontem o jornal Publico dava uma classificação negativa ao proprio ministro da justiça devido a esta situação.

Eu , numa anterior postagem salientei as afirmações de António Arnaut sobre o estado dela.Quando não há garantias e se instala a duvida muito mal vai o país.

Um abraço
António Delgado

Freyja disse...

Querido Antonio
una vez logras mostrar una realidad que existe y siempre estas demostrando con hechos lo que sucede
primero que nada te encuentro audaz, valiente y sincero
siempre estas bien informado y se lo demuestras a todos
lo malo que muchas personas evaden la realidad o simplemente tienen temor a opinar
me gusta lo que haces, lamentablemente entender la politica y todo lo que sucede en tu pais a veces no es facil
ya que uno piensa que un pais Europeo como Portugal no suceden tantas cosas como aca
y que tiene mas medios para salir adelante
aca siendo un gobierno de izquierda se supone que deberia ser mas transparente y preocuparse mas de la probreza y el desempleo, pero lamentablemente es un izquierda a la antigua, que no ha crecido a pesar de todo lo que sucedio con una dictadura
y solo se lo llevan peleando con la derecha y no solucionan los problemas
por momentos produce desencanto, ya que solo quiero que mi pais cresca y logre superar tantos problemas
pero la politica es asi, son hombres y muy humanos y se equivocan, lo importante es no callar nunca
te dejo muchos cariños y muchas gracias por tus lindos saludos y compañia
que estes muy bien y besitos amigo
sigue luchando


besos y sueños

Menina do Rio disse...

VENHO A PEDIDO DE ALDA DO BLOG CRÍTICAS & DENÚNCIAS, SOLICITAR QUE SEJA ENVIADO O EMAIL DESTE BLOG PARA QUE POSSAS TER ACESSO ÀS CONTAS DO S.O.S. MISÉRIA. CASO JÁ TENHAS ENVIADO, FAVOR DESCONSIDERAR ESTE AVISO.

O email para o qual deves enviar o vosso é:

s.o.s.miseria@hotmail.com

Fica desde já o meu beijo e votos de um belíssimo final de semana!

Menina do Rio

Té la mà Maria - Reus disse...

y no te has preguntado alguna vez quien es en realidad el terrorista ?

saludos, beijos i obrigados

ANTONIO DELGADO disse...

Hola Freyja, gracias por tus observaciones siempre tan entrañables. Apenas intento poner en discusión temas que de una forma o otra me tocan, directa o indirectamente y hablar dello para contrastar mejor mi ideias.

Un abrazo fuerte y buen fin de semana
António

ANTONIO DELGADO disse...

Meninad do Rio,

Já contactei com a Alda e por agora esta tudo em ordem.

Bjs
António

ANTONIO DELGADO disse...

TE la ma Maria,

Efectivamente no porque en Portugal afortunadamente no los hay disparando o poniendo bombas. Pero me he preguntado montón de veces el porque de los politicos seren, groso modo trapicheros, mentirosos, chorizos y personas a las cuales no se puede confiar ni un pelo.Que el mundillo de la politico esta echo para personas sin escrupulos, malformadas (no todas pero muchas)y tambien grosso modo por personas sin calidad humana o otras conocidas y que cuando pueden desvirtuan la realidad para beneficios partidarios o personales...entre muchas otras cosas!

Un abrazo
António.

Ludovicus Rex disse...

Urge estarmos atentos e vigilantes, a Democracia ainda pode resultar...
Um Forte e Fraterno Abraço

ANTONIO DELGADO disse...

Apesar dos tempos que vivemos e ou os indícios que a realidade nos mostra e com especial incidência a portuguesa, continuo objectivamente a acreditar na democracia como único modelo de convivência social; caso contrario demito-me e peço para baixar do trem.
Atentos devemos de estar sempre apesar de nem sempre se conseguir devido aos constantes desvios de atenção.

Um abraço fraterno
António

C Valente disse...

Que a voz não se cale, que as mãos não lhe doam, tanta verdade é digna de registo li com atenção redobrada, e a imagem desta boca com o fecho espero que nunca aconteça, mas que coisas estranhas estão por ai, lá isso estão
Saudações amigas

ANTONIO DELGADO disse...

Viva Caro C.Valente,
Andam do no ar coisas que não se entendem mas que se suspeitam e o dia a dia esta a tornar a suspeita numa forma clara de entender a realidade. Sinceramente Desejo que nada daquilo deixado expresso por imagens ou palavras aconteça...é tudo um alerta.

Um abraço
António Delgado

quintarantino disse...

O caro amigo já cá faz falta...

ANTONIO DELGADO disse...

Amigo quintarantino,

Obrigado pela sua visita e palavras que são sempre de um enorme estimulo. Esta semana que passou foi bastante laboriosa com viagens constantes e o blog sentiu-se um pouco. A partir da segunda semana de Novembro ireis estar fora de novo até principios de Dezembro, mas espero ter tempo porque materia tenho para o blog. No entanto hoje mesmo começarei a actualizar-me com todos os blogs amigos e aqueles cujas postagens me suscitem comentários.

Um cordial e fraterno abraço... até já!

António

Beezzblogger disse...

Bem estaremos alerta. Eu cá por mim, estarei, e você?

Belo tema, a dar que falar como sempre.

Abraços do Beezz

ANTONIO DELGADO disse...

Amigo Beezzblogger, suponho que não sou dos que acata as coisas de forma simples. Tenho pena é não ter mais tempo para dedicar-me ao blog e fazer e dizer o que quero e tenho em mente. A falta de tempo é o meu grande handicap...

Um forte abraço