sábado, maio 05, 2007

ALCOBAÇA CAPITAL DA MAMA




Caros amigos e leitores:
A propósito da reconfiguração do terreiro do mosteiro entregue ao arquitecto Byrne vejam o texto seguinte. Foi extraído das conclusões do estudo encomendado à SaeR (Sociedade de Avaliação de Empresas e Risco) e dirigido pelo Ex- Ministro da Economia e Finanças prof. Ernani Lopes, do PSD, que, segundo o sr. dr. Sapinho, é “um técnico de alto gabarito”. O Estudo foi publicado pela Câmara Municipal de Alcobaça sob o título de “Avaliação Estratégica das Condições de Desenvolvimento do Concelho de Alcobaça”. As citações que publico aqui foram também mostradas aos cidadãos de Alcobaça pela C.R.E.P.M.A., em circular enviada à população em 14 de Junho de 2004. –Pergunto:
Qual foi o interesse da Câmara em inflacionar o custo da operação em 50%?
Não haverá um conluio de amiguismo na Câmara?
O dinheiro gasto a mais não poderia ser utilizado em obras realmente necessárias em zonas muito carenciadas e totalmente abandonadas por este elenco camarário?
Serão os decisores da Câmara dignos da nossa confiança e capazes de gerir as contas do Concelho?
Não haverá corrupção e desvios de dinheiro por detrás disto tudo?


Não deixa também de ser preocupante a promoção de intervenções relevantes desinseridas de uma estratégia global, como por exemplo a requalificação da zona envolvente do Mosteiro de Alcobaça, e que podem, apesar da sua inegável necessidade e qualidade, não só ver comprometida a sua eficácia (por falta de coordenação temporal com intervenções complementares essenciais) como também criar padrões financeiramente incomportáveis e bloqueadores de acções subsequentes (não existindo argumentos que justifiquem grandes discriminações qualitativas, ou se mantêm o mesmo nível de investimento, ou não se faz, como já aconteceu com o parque de estacionamento de apoio ao Mosteiro.” Pag. 401,402

Na página 439 do mesmo estudo, pode ler-se:
0 Projecto de requalificação da área envolvente do Mosteiro de Alcobaça, abrangendo uma área de intervenção da ordem dos 30.000 m2 de áreas exteriores, foi posto a concurso recentemente com o preço base de 7 milhões de Euros, e está em vias de adjudicação por cerca de 5 milhões de Euros acrescidos de IVA, valor considerado excepcionalmente elevado (cerca de 175€ por m2, o que significa um desvio da ordem dos 50% face aos valores padrão para intervenções de elevada qualidade, e que não parece estar justificado por dificuldades adicionais, tais como o desvio de infra estruturas).”
Ps.

31 comentários:

A. João Soares disse...

Pelos vistos, trata-se de um caso muito sério. Infelizmente, em todas as câmaras há suspeitas de casos difíceis que resultam em enriquecimentos fáceis !!! A começar no menos qualificado fiscal e, pela hierarquia acima, seria interessante um inquérito cuidadoso e honesto. Fala-se de Câmaras como as de Lisboa, Oeiras, Salvaterra de Magos, Setúbal, Gondomar. Felgueiras, Cascais no anterior executivo, Águeda idem e muitas outras menos mediáticas...
Sigamos os conselhos do PR: Não nos resignemos, não nos acomodemos, manifestemos a nossa indignação. Façamos sair o fumo para se procurar o fogo que o produz.
Abraço

Antonio Delgado disse...

É precisamente essa a intenção que se pretende. Depois este sr. Presidente da Câmara de Alcobaça, ainda há pouco tempo viu o seu nome ser publicado nos jornais devido a não declarar os impostos fazia sete anos. Desculpou-se que tinha ido para “as termas”! Na freguesia de S. Martinho do Porto, presidida por um amigo do mesmo presidente
vive debaixo de suspeita de irregularidades. Algumas já foram noticiadas pela imprensa além do mais tem um urbanismos muito, mas muito suspeito… Obviamente que acerca de tudo isto se devem tirar conclusões sérias.

Agradeço ao amigo A. João Soares que divulgue este o post junto da sua comunidade de leitores e bloggers amigos porque temos a responsabilidade de fazer a democracia numa coisa realmente participativa...
Depois este pedido fundamente-se na realidade de Alcobaça ser vivida sob o sindroma de medo que é muito grande…ninguém fala nem comenta publicamente mas nos cafés e em privado a “rumorologia” é enorme e felizmente só a CREPTMA ousou sair desta apatia.

Um abraço
António

MariaFaia disse...

Não há dúvida que, quando a democracia funciona, as pessoas se sentem livres para exercer o seu direito de opinião e crítica.
A serem verdadeiros os factos aqui descritos a coisa é muito grave...
Penso que será caso para denúncia a quem de direito porque o Povo Português não tem que ser espoliado impunemente...
É , também, caso para perguntar o que é que os partidos da oposição andam a fazer em Alcobaça...
Se nada denunciam, é porque está tudo bem?...
É importante que tudo se esclareça a bem de Alcobaça.

P.S. A imagem está muito divertida... É humor político na verdadeira acepção da palavra...

João da Silva disse...

Meu caro António

Só posso usar uma expressão muito peculiar do presidente Sapinho.
"Um aumento de 50% são simplesmente uns trocos".
Trocos!!!! 7 milhões de euros para transformar um jardim num Deserto, coisa nunca vista Santo Deus!!!.

O homem alem de pouco verdadeiro quer também fazer de nós tolos.

O problema é que as pessoas se alheiam destas coisas e votam no emblema, e como os Partidos "todos" estão maioritáriamente repletos de "pessoas dependentes" , não haverá saída para isto .

Só com fé é que podemos acreditar que isto vai mudar para melhor.
Não perca a fé , a razão está do nosso lado

Antonio Delgado disse...

Cara Maria Faia,
Pelos vistos não são graves. As pessoas alheiam-se, não dizem nada, não se importam tal como os partidos da oposição. Alias Alcobaça está como esta graças a eles que são um verdadeiro "study case"!

Antonio Delgado disse...

Com razão ou sem ela a questão de fundo parece-me que é muito mais séria.

cordialmente
António

Ludovicus Rex disse...

Meu caro Amigo, a música de fundo vem mesmo a calhar...
Bom Domingo

Antonio Delgado disse...

Caro Luduvicus e vai-se tornar o hino de Alcobaça durante tempos.

Anónimo disse...

Aqui por S. Martinho já não nos admiramos com estas derrapagens.

Quando uma Junta de freguesia tem comprovadamente o fisco á porta, e o mais que se verá;

quando uma Junta comete irregularidades atrás de irregularidades mesmo depois de ter delas conhecimento, portanto de forma continuada;

quando uma Junta é auditada e os resultados dessa auditoria estão há 17/18 meses para sairem e não saem;

quando uma Junta já sabe que terá de liquidar á Segurança Social cerca de 60.000€ de impostos que não declarou;

quando uma Junta gasta em dez anos cerca de 2.500.000 € em obras dentro de um parque de turismo que nem legalizado está (repare-se que estes valores representam aprox. meio milhão de contos em moeda antiga );

quando uma Junta apresenta um quadro financeiro desastroso em que os próximos mandatos estarão completamente hipotecados;

quando uma Junta apesar disto tudo ainda tem a protecção da Câmara de Alcobaça, como é que nos haveriamos de admirar?

É o País que temos e cada população tem os governantes que merece.

O problema é que teremos de ser todos nós a pagar estes erros e os seus autores vão assobiando para o lado como se fossem grandes e ilustres iluminados e nós, os pagantes, os burros que não entendemos as belas obras que eles vão encomendando e deixando aos nossos filhos.

Neste concelho não são precisos só os ventos da baía, são precisas grandes tempestades que levem de cá tais personagens e as depositem por exemplo lá para os lados de Marrocos, sem ofensa para os marroquinos a quem não desejo mal nenhum.
VENTOS DA BAÍA

Antonio Delgado disse...

Ao Ventos da Baía,
S. Martinho é igualmente um excelente exemplo dos governantes que temos no concelho e da justiça neste País. Eu diria que seria necessario um Tsunami um Tornado e um enorme tremor de terra para que tudo isto fosse posto em ordem.
Um abraço António

papagueno disse...

Que grande sapo e de chupeta. Realmente a música não podia ser mais apropriada. Um abraço.

lucia duarte disse...

pessoal, não vamos ser derrotistas! vamos é continuar a alertar os que já se alhearam da vida alcobacense de que a sua voz é necessária para se tentar mudar as coisas.
alcobaça tornou-se um imperio sapinhista muito à semelhança do alberto joão.
na madeira, ainda percebo - é uma ilha e só lá chega a informação que o "rei" permite mas...alcobaça?
o pior cego é o que não quer ver!...
o que nos falta para sairmos desta apatia?
erguerem-se muitas vozes independentes e livres de estatutos para alertar para os gastos desnecessários, para as obras mal feitas e inacabadas, para a exclusão social, para o decrescimo de vendas no comercio tradicional, para um não aproveitar as potencialidades culturais da região,para os aproveitamentos de s.martinho?
porque é que obidos , sintra e sta maria da feira crescem e nós nos apagamos?
foi esta a interpretação que o sapinho (e seguidores) e o presidente da junta de s. martinho fizeram da liberdade que lhes foi dada no 25 de abril?
aproveitarem o grito de liberdade para se aproveitarem dele?
começo a pensar que temos de voltar a fazer uma caderneta de cromos (como quando era pequenita) onde colocariamos os que se servem da politica e não servem o país. depois, devidamente encadernados, podiamos enviá-los para a madeira onde se sentiriam, decerto, em casa!

ao antónio
estou deliciada com o novo hino de alcobaça. proponho-lhe uma caricatura - a bandeira de alcobaça com a chucha do psd. que tal?(com o devido pedido de desculpas às centenas de psd´s que não se revêem nestes politiquecos)

Antonio Delgado disse...

Olá Lúcia, sabe que não sou nada derrotista e a adversidade estimula-me. No caso deste cavalheiro só tenho pela que a minha disponibilidade seja tão limitada senão pode ter a certeza que seriam distribuídos panfletos nos mercados, aos turistas junto ao mosteiro, nas esplanadas e igrejas e colados nas paredes e locais permitidos para esclarecer sobre as torpezas deste senhor. Uma pratica salutar que os partidos faziam não há muito tempo e como se faz em países evoluídos realmente. Onde a construção da democracia é da responsabilidade dos cidadãos e não uma benesse sinónima de aridade como em Portugal e especialmente em Alcobaça . Nesses países as pessoas não deixam fazer o ninho atrás da orelha. O serviço publico é pautado por rigor seriedade e por competentes e as oposições também, independente sejam de direita ou esquerda. E no caso dos políticos senão cumprem ou têm a veleidade de desviar o bem publico para benesse privada vão para o chilindró sem rodeios.
Sobre a comparação entre a Madeira e o Alberto João, em termos de escala Sapinho é e será sempre muito pior. O Alberto João com todos os defeitos conhecidos e públicos, tem um curriculum politico que este nunca teve, não tem nem nunca terá! No dia em que sair da Câmara Alcobaça esta terra terá a sua maior vitória democrática depois do 25 de Abril.
A ideia dos cromos é muito boa, tal como é a sugestão de mudar a iconografia de Alcobaça. Já imaginei criar a CHUCHA DO ANO para distinguir certos personagens de Alcobaça e fora dela mas ligados a esta terra pelo EL Dourado que se tornou com Sapinho. Sobre a musica Ela irá ser também o hino de campanha do Sapinho às presidências da câmara de 2009… os direitos já estão reservados! Proponho até que convidem uma tuna ou várias e que todos os dias, quando o Sapinho esteja no edifício da câmara vão tocar a música para lá. Podem também convidar a Banda da Alegria para animar as ruas de Alcobaça ou um carro ou vários andarem com altifalantes a tocarem …Vamos pedir à rádio Cister que toque esta musica nos intervalos da publicidade e no programa dos discos pedidos?
Um abraço

lucia duarte disse...

essa dos discos pedidos é GRANDE. vamos começar a fazê-lo?
acho que vou começar amanhã mesmo.

sonhadora disse...

Andam tantos a mamar!
Achas que me devo calar ou continue a sonhar?
Beijinhos embrulhados em abraços.

Antonio Delgado disse...

Pois sim Papagueno a musica assenta que nem uma luva.
Um abraço.

Antonio Delgado disse...

Se andam SONHADORA.

uma abraço
Antonio

Jose Gonçalves disse...

Pois podem contar comigo para os discos pedidos
Um abraço

Mário Margaride disse...

Olá António,

Este país é um paraíso de mamões. Já não é de agora sempre foi. Só que agora, mamam democraticamente.


Boa semana e um abraço

Freyja disse...

querido Antonio
muchos dias sin pasar por aqui a saludarte
te dejo muchos cariños y que sea una linda semana
que estes muy bien
besitos


besos y sueños

XRéis disse...

Adorei a Musica volto mais tarde para comentar o post, agora passei para dizer que deixei um "meme" no Alentejo.

lucia duarte disse...

eh, pessoal vamos começar a pedir o "eu vi um sapo" da maria armanda amanhã na rádio cister?
e dedicamos ao elenco camarário?

Antonio Delgado disse...

Muchas gracias Freyja ya sabes cunato te estimanos, yo e los lectores de Ecos e comentarios.

Una linda semana para ti y muchos besitos.

Antonio Delgado disse...

Pois si XREIS é uma musica que já se transformou no hino de Alcobaça.
já irei vistitar o alentejo

Antonio Delgado disse...

Cara Lucia, se souber a hora serei o primeiro a telefonar para a Radio Cister e pedir o musica. Mas também faço um apelo às comissões de festas da região de Alcobaça, que utilizem esta musica da Maria Armanda para anunciarem as suas festas nas aldeias. E também quando andem a publicitar pelas terras nos carros com altifalantes. Dentro de Alcobaça, em S. Martinho, Pataias, Benedita, Aljubarrota...
um Beijo
António

ORTOGAL disse...

Cito-me: "só a inteligência humana tem limites, a estupidez humana é ilimitada". O pior pode ainda estar para acontecer. Defendamo-nos pois como pudermos e mantenhamo-nos unidos. A guerra contra nós há muito que começou.

lucia duarte disse...

olá antónio
espero que veja o meu artigo em http://comentaranossaterra.blogspot.com.
quanto ao horário dos discos pedidos é às 18h com o pedro nobre. vamos começar?

Antonio Delgado disse...

A amiga Lucia manda...mas tenho duvidas que na Radio Cister ponham o disco...essa radio controlada pelo POETA não permite certeos discos, certas noticias certas entrevistas etc etc.

Antonio Delgado disse...

Pois sim ORTOGAL só unidos...mas acha que em Alcobaça as pessoas se unem para defenderem a terra nessa " guerra contra nós"?...na idade que tenho nunca dei por nada!

Um fraternal
Abraço
António

lucia duarte disse...

tem razão antónio. as pessoas movem-se por interesses pessoais e não pelo bem-estar colectivo.
às vezes (ou quase sempre) dizem-se as coisas em surdina, por esntre este ou aquele copo de vinho, mas, quando toca a hora de agir mostram medo e retraem-se porque ou têm um comércio aberto, ou porque têm problemas pessoais que podem vir a público 8como se alguém tivesse alguma coisa com isso9, ou, às vezes, porque são cobardes e têm medo de falar contra os que, hoje, se julgam grandes senhores.
a nós, vai cabendo o ingrato papel de gritar o que sentimos e esperar pela revanche.

Antonio Delgado disse...

Amiga Lúcia.
De facto é muito ingrato o nosso papel e pode crer que o meu não tem sido nada facil. Na minha ingenuidade pensava que podia ajudar certas ideias mas infelizmente tive reacções bastante negativas donde menos as esperava. Como sou livre e de bons costumes estou atento.

Um abraço
Lucia.