quinta-feira, agosto 16, 2007

CROMOS E POLITICAS DE MERDA


O Jornal Região de Cister fez uma noticia , esta semana, sobre um tema que foquei e denunciei neste espaço há algum tempo...será que o RC despertou de vez para o que se passa verdadeiramente em Alcobaça?




“ Os turistas que saem dos autocarros podem utilizar as casas de banho do mercado (...)” Herminio Martinho in Região Cister 16/8/2008
As imagens seguintes são das casas de banho do mercado. Espaço que é uma autêntica vergonha publica da qual o vereador Rogério Raimundo da CDU já fez referência... O ÚNICO!
é para ali que o senhor vereador manda os turistas ?
...DEVIA TER VERGONHA NA CARA !
Talvez a população de Alcobaça, um dia destes, tenha politicamente que lhe pedir para soprar no balão!

Casas de banho sujas e exíguas, sem manutenção, com cheiros nauseabundos e portas escancaradas sujas por pintar e salpicadas de imundices.


Chão encharcado de água e urina que tresanda e é escorregadio.



troços de alcatifas sebentos para ensopar a água misturada com urina. Balde de tinta velho reciclado para deitar papéis.


Do lado das WC das senhoras o espectáculo não é melhor: casa de banho sem categoria e nivel, paredes salpicadas de sujidade e sem espelhos, ambiente com cheiros, espaço insonorizado o chão com buracos e humidade, antigo balde de tinta usado como papeleira.

Admira-me, que por norma,os jornais locais façam noticias de quem parece possuir sinais de demência ; ou de alguém que nada faz e disso consegue fazer render noticias para afirmar precisamente o contrário! ou Noticias de entrevistados para despejarem puerilidades nos leitores, como se estes fossem mentecaptos ou simples receptores de vacuidades . E isto acontece tanto à direita como à esquerda! Estranha-me como a imprensa local não se interesse em noticiar os verdadeiros males que a terra enferma, parecendo com a actitude que toma, querer contribuir para o seu definhamento ...de facto a imprensa esta a fazer um rico serviço à comunidade!

Numa terra que se quer insinuar como túristica, o que se passa com as casas de banho públicas é mais uma das muitas vergonhas existentes nesta terra e no concelho e que a todos faz corar. Não se pode descer tão baixo: a irresponsabilidade tomou conta de Alcobaça!

Vejam o que diz o outro sr. Cromo que é o sr. presidente da Camara. (uma selecção)

“ Há quem diga que eu ia para Lisboa a telefonar. Confesso, não tenho problema. Ou ia a dormir ou a telefonar, para tratar de assuntos ou para as sete maravilha"” Gonçalo Sapinho in revista distribuída com o Região Cister desta semana.
““ Vou de Alcobaça até Lisboa, todo o caminho a votar ao telefone” José Gonçalves Sapinho, presidente da CM Alcobaça, a propósito da eleição das 7 maravilhas. In Região de Cister 24/5/2007 .





Pelo extracto da entrevista desta semana , ficamos a saber que o carro pago por todos nós serve também de "wagon lit", para o presidente dormir... Será que o presidente, um chefe, vai mesmo dormir para o local de trabalho? ...A presidência da C.M. de Alcobaça é de facto uma rica chupêta !


Ps. Há casas de banho de cafés, em frente ao mosteiro e pela povoação que não sei se resistiriam a uma fiscalização do (a) delegado (a) de saúde.

COM O TEMA DAS CASAS DE BANHO, MAIS UMA VEZ FICA PATENTE O CARACTER DESTE PRESIDENTE: UM EGOLATRA DOENTIO E UM PUSILÂNIME . QUANDO É PARA TER LUZES E "GRANGEAR LOUROS" APARECE NA PRIMEIRA PESSOA, QUANDO É PARA DESCULPAR-SE SOBRE A ANARQUIA DA SUA (DES)GOVERNAÇÃO FOGE, NÃO ASSUME, MANDA OS POBRES LACAIOS DAREM A CARA...QUE CARÁCTER TEM ESTE CAVALHEIRO E QUE GENEROSIDADE E APETÊNCIA TÊM OS LACAIOS PARA FAZER O RIDICULO !

Bom fim de semana a todas e todos.

34 comentários:

A. João Soares disse...

E há quem diga que Portugal é um país de turismo e que este será a principal origem de divisas!!!
Com exemplos destes estão a afastar os turistas.
Para quê a obsessão das maravilhas?
Falta coerência, lógica, racionalidade.
Com tanta porcaria, como contribuir para o desenvolvimento do civismo e da cultura das populações?
Porque votam em tipos deste género?
Onde está o mal, a origem destas situações?
Um monte de interrogações que deixam dúvidas sobre a viabilidade de Portugal!!!
Abraço
Do Miradouro

lucia duarte disse...

com este elenco camarário já nada me admira.
O presidente dorme, telefona, vai fazer discursos em que mostra nem saber a história da terra que dirige, é convidado pelas câmaras de porto de Mós e Batalha para eventos relacionados com o 14 de Agosto e não aparece, não quer entrar nas comemorações a 3 concelhos, não aparece na abertura da medieval de Aljubarrota porque está de férias, gasta o dinheiro de todos nós em futilidades.
O problema é que não é só ele que dorme!- o povo está a dormir há vários anos!
Vamos acordar esta gente!
acho que estão intoxicados com vitamina C.
vejam-se as juntas de freguesia entregues a estes laranjinhas. têm feito alguma coisa?

lucia duarte disse...

com este elenco camarário já nada me admira.
O presidente dorme, telefona, vai fazer discursos em que mostra nem saber a história da terra que dirige, é convidado pelas câmaras de porto de Mós e Batalha para eventos relacionados com o 14 de Agosto e não aparece, não quer entrar nas comemorações a 3 concelhos, não aparece na abertura da medieval de Aljubarrota porque está de férias, gasta o dinheiro de todos nós em futilidades.
O problema é que não é só ele que dorme!- o povo está a dormir há vários anos!
Vamos acordar esta gente!
acho que estão intoxicados com vitamina C.
vejam-se as juntas de freguesia entregues a estes laranjinhas. têm feito alguma coisa?

HOMERO disse...

Hola Antonio: gracias por visitarme en mis blogs. Me ha entusiasmado la idea del vigorón en Portugal. Si necesitas alguna otra orientación o tienes una duda sobre cómo se hace, me lo dices. Un abrazo. H.

Ema Pires disse...

Se existe algo que é característico de Portugal sao as casas de banho sujas e a cheirar mal. E uma coisa que nao existe em lado nenhum - e eu conheço muito países - sao uns baldes para deixar o papel sujo e pensos de senhoras, tudo aberto e com um cheiro tao terrível que algumas vezes entrei e fugi imediatemente sem utilizar a casa de banho em questao.
Existem normas mas parece que em Portugal nao se conhecem, nao deve de haver inspeçoes, ou entao dando um jantarzinho ao inspector a coisa fica arrumada. Nao quero nem pensar que as cozinhas de certos restaurantes sao à imagem das suas casas de banho. Em particular na regiao de Alcobaça e da Nazaré há casas de banho que sao verdadeiros focos de infecçao.
Está bem António recordar este tema, de que em muitas ocasioes me falaram amigas estrangeiras e eu só tenho vergonha alheia e tenho que reconhecer que elas têm toda a razao. Nao se podem negar factos que sao patentes. Neste caso nao é uma crítica só por criticar, é a triste realidade poruguesa.
Beijinhos

Alzira Henriques disse...

É, na verdade, vergonhosa a situação de Alcobaça...
Eu, como alcobacense sinto-me envergonhada com tais situações , triste pelo facto de os meus conterrâneos aceitarem e promoverem as misérias de que o concelho enferma, com base num seguidismo político tradicionalmente arreigado e cego.
É necessário mostrar a pobreza de espírito que grassa no meio político que, parece somente dar relevância a folclore, como forma de caçar votos.
Entretanto o folclore aumentará de intensidade, com o aproximar de novas eleições autárquicas. Até já se deixou para mais tarde o espectáculo do mago Luis de Matos porque é mais uma oportunidade para inebriar o povo em período mais favorável aos intentos políticos de quem quer continuar no poleiro...mantendo o atraso do desenvolvimento concelhio.
Estristece-me, também, o nível cultural das nossas gentes que, infelizmente é muito baixo - daí a sua falta de exigência social e política.
No caso relatado neste post, é caso para perguntar ao vereador Hermínio se na casa dele as casas de banho também são como as que recomenda para os turistas. Vergonhoso...simplesmente!
E, como é que se tem a lata de dizer que se promove o turismo com o concurso das Maravilhas? Pelos vistos tem-se vindo a promover é a inacção, a degradação, o despudor, o desinteresse pelo incremento do desenvolvimento económico, social e cultural.
Há que denunciar e mostrar ao povo, com provas concretas, a que ponto chegou o concelho de Alcobaça e, se isso puder ser feito com um pouco de humor à mistura, tanto melhor. Pelo menos assim as pessoas não esquecem...

Bjo

Ema Pires disse...

Vi no Jornal Região de Cister que desde 2005 estão-se a fazer uns simples urinais – porque segundo a fotografia não é mais do que isso – e parece absolutamente surrealista necessitar dois anos para executar essas "grandíssimas" construções! Leva-se menos tempo a construir todo um edifício de vivendas!
À parte da falta de cultura o que falta nessa terra é sentido comum e um bocadinho de vergonha.
Portugal é o país do "Nunca acabado" e imagino que os portugueses estão tão acostumados que já não se apercebem. Cada vez que estou em Portugal é a mesma coisa: Montinhos de pedras de calçada que ficaram no lugar da construção e que nunca mais serão lavadas aonde deveriam, um montinho de areia por aqui, uns tijolos por ali... Sem mencionar que andar com saltos pelas ruas é tomar o risco de ficar com um tornozelo partido. É o único país onde é necessário levar calçado especial para andar pelas ruas. Imagino o que será para as pessoas idosas, no inverno quando a calçada está molhada. Só se pode andar com botas de campo. Ou levar os sapatos bonitos num saco e pôr quando se chega ao lugar do jantar ou do concerto, etc. Há lugares em países ditos não desenvolvidos onde isto não é necessário
Bem, para voltar ao assunto das casas de banho do Mosteiro é algo que não se entende visto desde fora e que ninguém do lugar tenha dito nada até agora. Por um lado, compreendo o desmazelo da câmara, se ninguém se queixa, para quê fazer coisas que parece que ninguém exige. Desculpa António dizer isto, mas um povo tem os dirigentes que merece, porque vota neles.
Beijinhos

Ema Pires disse...

Vi no Jornal Região de Cister que desde 2005 estão-se a fazer uns simples urinais – porque segundo a fotografia não é mais do que isso – e parece absolutamente surrealista necessitar dois anos para executar essas "grandíssimas" construções! Leva-se menos tempo a construir todo um edifício de vivendas!
À parte da falta de cultura o que falta nessa terra é sentido comum e um bocadinho de vergonha.
Portugal é o país do "Nunca acabado" e imagino que os portugueses estão tão acostumados que já não se apercebem. Cada vez que estou em Portugal é a mesma coisa: Montinhos de pedras de calçada que ficaram no lugar da construção e que nunca mais serão lavadas aonde deveriam, um montinho de areia por aqui, uns tijolos por ali... Sem mencionar que andar com saltos pelas ruas é tomar o risco de ficar com um tornozelo partido. É o único país onde é necessário levar calçado especial para andar pelas ruas. Imagino o que será para as pessoas idosas, no inverno quando a calçada está molhada. Só se pode andar com botas de campo. Ou levar os sapatos bonitos num saco e pôr quando se chega ao lugar do jantar ou do concerto, etc. Há lugares em países ditos não desenvolvidos onde isto não é necessário
Bem, para voltar ao assunto das casas de banho do Mosteiro é algo que não se entende visto desde fora e que ninguém do lugar tenha dito nada até agora. Por um lado, compreendo o desmazelo da câmara, se ninguém se queixa, para quê fazer coisas que parece que ninguém exige. Desculpa António dizer isto, mas um povo tem os dirigentes que merece, porque vota neles.
Beijinhos

lucia duarte disse...

lá vou eu ser politicamente incorrecta mas, como estive 4 dias a encarnar a padeira de Aljubarrota, acho que tenho desculpa (nesse tempo não havia necessidade de ser diplomata).
eu sei que muito está mal em Alcobaça e que temos lutado muito para modificar este facto.Sei também que os responsáveis por estes erros vão visitando os nossos blogs e estão incomodados sem, no entanto, fazerem nada para melhorar estes casos.
Sei que há muito a fazer e espero, sinceramente, que quem for votado para, nas proximas eleições estar á frente do poder politico de Alcobaça, saiba fazer melhor.
O que eu não consigo engolir são lições de quem não vive cá, não paga impostos cá e não vota cá.
Se não gostam de nós e da nossa terra porquê insistir em cá voltar - só para criticar?
Nos paises onde vivem a situação é melhor?
Gostava de acreditar que sim e que o mundo não tinha outros paises em piores condições do que o nosso - era sinal que não havia gente a viver na miséria e em guerra, que não havia terrorismo nem pedofilia, nem escravatura e, nem mesmo, gente a ter de ir viver para outros paises por necessidade de conquistar uma vida melhor; era sinal que, algumas pessoas não tinham vergonha da sua terra, das suas gentes e da sua sua condição como pessoas.
Seria um mundo maravilhoso aquele em que cada um de nós pudesse ter um par de sapatos para trocar de cada vez que passásse por uma rua com buracos, um mundo em que todos tivessem um nivel de vida que lhes permitisse ir a um concerto ou a um espectáculo.
Mas somos acima de tudo, um povo que se orgulha da sua terra e que "permanecendo nela" luta para que as coisas sejam melhoradas - somos assim - os eternos lusos reforçados na sua independência graças a D. Nuno e à nossa padeira!

o guardião disse...

A situação descrita não dignifica o património, a região e as autoridades responsáveis(?). Não sei é porque a imprensa nacional não faz eco desta situação, porque talvez a solução viesse mais rapidamente.
Cumps

brit com disse...

Parece que me falta sempre tempo e dinheiro para umas visitas turísticas, pelo que ainda não tive o prazer de conhecer Alcobaça. Mas António, ainda bem que avisas, porque quando eu resolver dar um passeio por esses lados vou investir mais um pouco e levo uma casa de banho portátil... Quem sabe, se a montar no mercado ainda faço uns tostões com os turistas...

lucia duarte disse...

olá guardião
tem razão mas quer saber o que se passa? o região de cister tem muito boa gente mas ligada, na sua maioria, ao psd e isso castra-os.
o alcoa tem tentado mostrar o que se passa mas ... é quinzenal e há coisas que acabam por não ter impacto.
eu e o antónio, nos nossos blogs vamos denunciando alguns casos mas a maioria das pessoas tem medo de falar...
a pide acabou mas a perceguição continua, triste, não?

o guardião disse...

Pelos vistos há que dar mais eco ao assunto, por aqui mesmo, pois há muito quem leia o que aqui se escreve.

Cumps

Freyja disse...

querido Antonio
increible las imagenes que muestras amigo, es para que reclames y lo muestres
te dejo muchos cariños y deseo que estes muy bien
un buen fin de semana y cuidate amigo
mil besitos y mil gracias


besos y sueños

zé lérias disse...

Chegue-lhes meu caro amigo António.
Eles só "andam a dormir" para o que não lhes interessa.
Começaa a ser preocupante tanto desmazelo e inconpetência, não só aí, infelizmente.

Ema Pires disse...

O comentário da Britt é mesmo acertado. Nao tinha pensado nisso da casa de banho portátil. Seria uma excelente ideia. E tenho a certeza que teria uma grande clientela. Que nao falte o bom humor.
Beijinhos

brit com disse...

hehehehe Ema, obrigada. Acho que com o humor se consegue muita coisa também. E não há-de faltar... E se resolveres montar o negócio, avisa... Em Agosto estou disponível para porteira!

J.G. disse...

LI tudo e vi tudo com muita atenção, mas nenhum outro comentário se me oferece que não seja este: QUE VERGONHA!

Um abraço e não desista de tornar públicas estas incríveis e patéticas acções de quem é pago pelo povo, honesto e trabalhador.

Jorge Casal disse...

Estas notícias sobre (a falta) de casas de banho numa terra que se diz cidade e cujo presidente se gabou de passar uma viagem de trabalho a fazer telefonemas para que o povoléu a nomeasse como uma maravilha, e em que gastou 150 mil euros do erário público, são bem reveladoras da MERDA DE GENTE (peço desculpa da expressão mas é o que encontramos no local em questão) que se instalou por aqui. Em vez de empreendimentos de verdadeira utilidade, fazem-se obras públicas de fachada, quer dizer, de CAGANÇA publica. Abrir uma casa de banho não é ensejo para que se convidem os jornalistas a tirar uma foto ao Sr Presidente... Essas banalidades podem ficar para o próximo mandato... Se se sentirem «apertados» aguentem! Dirá o senhor presidente... Mas, no fundo, os responsáveis por este estado de porcaria em que se encontram as cidades portuguesas foram os muitos eleitores para quem um «bom político» é o que mais CAGAR postas bacalhau. Peço desculpa da linguagem...mas estmos a falar de MIJADOUROS, RETRETES, vulgo «casas de banho», «sanitas» ou, para falar chic, WCs, TOILETTES, consoante o idioma que estes insignes autarcas desejam ver em Alcobaça.
Jorge Casal

Meg disse...

Que país!!!
Palavras para quê, depois de ver estas imagens?

Abraço

Anónimo disse...

... Sanitários Públicos é o termo na continuídade republicana com a latrina romana (encontram-se nas Villas).
Magnífica imagem a nº3... rodada 90º graus no sentido dos ponteiros, trabalhada aqui e ali no desfazer alguns desequilibrados brilhos dá uma foto capaz de concorrer com a exposta em gabinete de ministro e entrar directamente no CCB. A mancha vermelha de alcatifa (sui generis, tapa buracos, resto do merco por certo) fica no quadro em excelência visual a equililibrar o peso dos úrinois, peça assinada aliás pelo Dadaísta Max Ernest vão mais de oitenta anos.

E esta...ehein?
J4Fun

Sophiamar disse...

N�o tenho palavras! Isto cheira mal.
Gostei
Beijinhos

Um Momento disse...

E assim se vai vendo a miseria das "promessas" aquando as eleições
Realmente... WC's nesse estado...
E depois vêm falar em saude!!
Enfim
Uma boa noite e grata por de alguma forma tentar chamar á razão
Deixo um beijo
(*)

C Valente disse...

e viva o turismo, mas aten�o o governo e companhia s� est� interessado em grandes hoteis, resortes, campos de golfe, e como se sabe gente fina � outra coida, n�o fazem m...
sauda�es amigas

Menina do Rio disse...

Banheiros públicos? Acho que são iguais em todo mundo...Aqui salvam-se os das praias e dos shoppings.

beijos

Euzinha disse...

Quem passa por Alcobaça, não passa sem lá voltar. E é bem verdade.
Eu gosto de Alcobaça.
Obrigado pela visita e espero seja como Alcobaça, que não passe sem lá voltar.
Bonito comentário.
Um beijinho
E.

Ema Pires disse...

Esta uma resposta para a amiga Brit:
Se já esvolheu o posto de porteira, se me deixar eu fico na caixa para cobrar e depois partilhamos os benfícios, uns 70% para a Brit que teve a ideia e o resto para mim. Também levarei um balde de lixívia par a limpeza. Vamos ser ricas depois do verao. Poderiamos fazer publicidade nos jornais locais.
Para o António, esta música grega é lindissima e faz passar melhor este tema tao escatológico.
Beijinhos

brit com disse...

Ema: Negócio feito, mas só aceito 50-50. :)

Ema Pires disse...

Está bem amiga Brit, 50/50. Mas eu ponho a lixívia, vamos precisar de muita com tanto turista a atravessar o deserto do Mosteiro e a beber muita água.
Beijinhos

brit com disse...

Ema, uma dúvida. Para onde fazemos as descargas? Ligação directa à Câmara Municipal?

Anónimo disse...

brincadeiras...
...A brincar brincar, estratégias politiquices e outras merdelices, estes ... habilodosos levam duplas e triplas pensões de reforma há conta de eleitos.... vejamos:
- menos 3 a 6 postos de trabalho directos, durante 3 anos;
- Falta de respeito universal e incentivo á infracção pública;
- Abuso de local aos comerciantes privados;
-Insensibilidade aos usos costumes do comportamentos e da fisiologia;
-Desconhecimento e alheamento ao visitante nacional e estrangeiro e "nas tintas" a saúde pública da urbe;
- O desinteresse pelo pelegrino, velho, criança, viajante, peão... etc...

enfim..bi e tri reformados !

AlcatifaVermelho

Jorge Casal disse...

Escrevo-te para falar da música da tua postagem.Já abri várias vezes o Ecos e Comentários só para ouvir esses sons. Desconheço a letra. Mas a música é belíssima. Quase diria divinal. Inspira. Propõe ao recolhimento. Dá paz de espírito e... vontade de ficar onde estou a ouvi-la sob uma árvore, numa mata, e também como estou, sentado numa pedra a escrever-te a partir dum portátil (enquanto a bateria durar...). Fez-me bem. Um abraço e continua com o bom trabalho

Jorge Casal

Ema Pires disse...

Para Brit,
Acho que se pode ligar directamente a uma descarga para o Coa ou o Baça, que já estao bastante poluidos e um pouco mais imagino que o Sr. presidente nao o incomodrá, senao par um café da zona.
Já temos tudo pensado, podemos começar o nosso negócio. É preciso saber quanto vamos cobrar, aqui impoe-se a lei da procura e da oferta.
Desculpem esta brincadeira mas é preciso sentido do humor com isto das retretes.
Beijinhos

Também adoro esta maravilhosa música grega. Além do grego ser um língua das mais bonitas que existem e das mais ricas.

Maria disse...

Hum... só li agora. Tempos agitados, menos tempo para ler. Muito bem observado. Não é uma questão política, é uma questão de todos, os eleitos pela autarquia deviam trabalhar para receber bem todos os visitantes. Saltando para a minha área o termo seria USABILIDADE dos locais. A higiene pública é básica. E a manutenção de espaços de higiene promove o trabalho, previne doenças, cultiva a saúde. Não pude deixar de reparar que não andam por aí casas de banho acessíveis... Não é assim tão caro ter uma braçadeira de apoio numa delas e o mobiliário de higiene a alturas razoáveis para TODOS os utentes. Pois, pois, não deixem argumentar que não deu para fazer nada melhor, porque a casa de banho mais limpa e acessível que já visitei foi uma adaptação fabulosa num monumento italiano do século XIII. E nós, em que século andamos? Boa chamada de atenção. Um abraço.