segunda-feira, novembro 19, 2007

EM VIAGEM




Estou fora mas tentarei actualizar esta postagem conforme a disponibilidade.

Boa semana.

Adoro viajar! É uma actividade que exerce em mim uma enorme atracção. Ajuda-me a narrar historias sobre o que vejo e não conheço e a teorizar para perceber o mundo e a realidade que são cada vez mais globais e menos locais.

Por imperativos académicos o meu destino foi Bilbau, cidade peninsular posta de moda nos últimos tempos. Esta postagem pretenderá ser uma espécie de crónica de viagem, mantendo deste modo vivo os Ecos nos dias de ausência. A diário colocarei novas imagens e textos nesta mesma postagem.


Gijón dias 19/20

Fui a Gijón pelos mesmos motivos que vim a Bilbau (questões académicas). Esta cidade asturiana esta a 300 km de Bilbau e é também uma cidade de características marítima. Da Janela do hotel onde fiquei: Hotel Astúrias, um clássico da cidade situado na praça Mayor. Desfruta-se uma magnífica vista sobre o mar e a praia mas essas vistas são muito mais aprazíveis pelo passeio construído ao longo da orla marítima. É com algumas imagens da Baia e arquitecturas da cidade que vos deixo por agora. Num apontamento simples.





Janela do quarto no Hotel Asturias. Fui despertado pelas nove numa manhã um pouco cinzenta, sem chover.



Vista parcial do passeio marítimo com um ar nubledo e cinzento.



A cruz acaba por ser um elemento simbólico muito presente na iconografia de Gijon mas também em todas as Asturias.



Pessoas a contemplarem o mar que estava muito bravo neste dia 20: são mais ou menos as 11h da manhã.


Vista do mesmo passeio tal como as imagens seguintes.





PAUSA!




Retemperar forças com um Rioja reserva acompanhado por um "pincho" por acaso muito gostoso. Num bar muito curioso chamado O Convento, decorado apenas com iconografias de santos e paramentos de igreja.

Detalhe do bar.


Roupas de padres para cerimónias religiosas.

Há, por estes dias, o festival Internacional de Cine de Gijón. Como em anteriores mostras tem um programa muito interessante com a vinda de actores e realizadores de renome.

Edificio do Banco de Gijón

Um edificio carateristico da cidade, junto a um espaço de aluguer de bicicletas para visitar a cidade. (COPIEM A IDEIA)


Gosto de visitar os mercados e ver montras, tanto uns como as outras, dizem-me muito de aspectos muito concretos de uma cultura tais como a higiene e os seus graus de saúde publica, pela forma como mostram os alimentos e pela limpeza dos espaços onde eles se exibem . As montras uma pouco dos hábitos e estética dos seus habitantes e a cultura em geral. Esta é uma imagem de um dos mercados da cidade designado por "Mercado del Sur".

LIMPIAS (Cantabria) 21.10.2007


Depois do regresso de Gijón, acordei pela manha e, após tomar o pequeno almoço nao resisti em dar um passeio pelo "muelle" e ver o ambiente natural que tanto me tem inspirado para alguns dos texto que já publiquei neste blog e algumas das imagens que os têm ilustrado. O lugar é de protecçao ecologica onde muita gente vem aos fins de semana mostrar às crianças as aves e especies protegidas que por aqui habitam ou estao de passagem. Foi assim que encontrei Limpias faz quinze anos, quando vivia permanentemente em Espanha tendo-me mudado de Bilbau para este lugar que considero um paraíso.

Vistas da janela do quarto

Passeio junto à ria

Passeio junto à ria

Barcos de recreio

Paisagem

Barcos de recreio

Barcos de recreio

Pequeno afluente no rio Assón

Ao fim de uma hora, depois de desfrutar destas paisagem natural e ímpar longe de qualquer reboliço, voltei para casa a fim de continuar a trabalhar nos meus afazeres.

33 comentários:

Ludovicus Rex disse...

Boa Viagem e boas Jornadas Amigo.
Um abraço

Menina do Rio disse...

Obrigada querido! Pois mesmo estando fora fostes me ver e me deixastes palavras tão belas! Só tenho que agradecer pelo teu carinho e desejar-te uma semana maravilhosa!

Beijinhos desde cá das franjas do mar

ANTONIO DELGADO disse...

Caro Ludo,

Obrigado pela tua passagem. Hoje estive num museu e pensei em ti e em tudo o que tens escrito sobre museologia.

UM ABRAÇO FRATERNO

ANTONIO DELGADO disse...

OLA MENINA DO RIO,

Achei muito bonito tudo aquilo que escreveu sobre a sua menina...tocou-me e, como nao sou pai, por vezes imagino como seria eu com um filho/a meu.

Muitos beijos impregnados de amizade verdadeira e salero..olé olé!

António

Tiago R Cardoso disse...

Nesse caso boa viagem.

quintarantino disse...

Boa viagem. Bom regresso.

ANTONIO DELGADO disse...

Caro Tiago r Cardoso,

Obrigado, mas nao deixe de passar porque o diario será actualizado...dentro da disponibilidade.

Um abraço.
António.

ANTONIO DELGADO disse...

Caro Quintarantino,

obrigado mas volte porque este diario será actualizado...segundo as possibilidades.

Um abraço.
António

Mocho-Real disse...

Uma boa viagem por uma das mais bonitas regiões de Espanha e que se estende desde o mar até a alta montanha.
De Gijon me lembro bem por ter lá comprado há uns anos pneus novos, muito mais baratos.~, o que me fez, com o tempo perdido para asua montagem e calibragem, a fazer uma directa Gijón-Lisboa, record de Km. num dia para mim, nessa altura.

"Que disfrutes", como dizem os meus amigos espanhóis.
Manifestações culturais não faltam por toda a Espanha. Assim sendo, é aproveitar!

Hasta luego y un abrazo.
Ah! Y viva la cidra!

C Valente disse...

Belas imagens a fazer inveja
Boa viagem, a té breve
saudações amigas

papagueno disse...

Então boa viagem e diverte-te.
Um abraço.

A. João Soares disse...

Boa viagem, bom aproveitamento de todas a oportunidades. Obrigado pelo diário que merece um prémio do turismo de Espanha!
Abraço
João

Ludovicus Rex disse...

Bela reportagem amigo. Um Abraço Fraterno

O Guardião disse...

Uma boa viagem, quanto mais não seja serve para desopilar um pouco o espírito.
Cumps

Siry disse...

Hola Antonio, compartimos el gusto por viajar y conocer culturas diferentes.
Gracias por compartir la experiencia.

Un abrazo y buen viaje

Maria Faia disse...

Estimado António,

Passo, de corridinha, para deixar um beijo, desejar uma excelente e feliz viagem e dizer que há um mimo para ti, no Querubim.

Maria Faia

Sophiamar disse...

Fiquei deliciada com as fotografias, Ant�nio. Apesar de ocupado ainda arranjaste um tempinho para os amigos.
Bem hajas! beijinhossss

Um Momento disse...

Mas que beleza...
Imagens maravilhosas...
Que continue tudo a correr muito bem:))

Beijo grande
(*)

Arte & Liberdade disse...

Dizer-te... que ém nada fazem falta os comércios que vendem boias para a praia... dizer-te do espaço... da escala e no fim da luz suave de quem se orienta a Norte... dizer-te que os rios e de las rias que por aí correm para al mar, quizá más frio. Dizer-te aproveita o próximo e lo todo, lava os horizontes estreitos... ... e no fim dizer-te que gostei muito da sequência... por sinal não indiferente a certas explorações abóboras.

zé lérias disse...

Que inveja meu amigo!
Disfrute, apesar do tempo parecer não ajudar.
Também preferiria viajar fora do Verão para "sentir" melhor o pulsar das localidades, mas...

Um abraço

Ema Pires disse...

Nota-se como sempre, quando fazes fotografias, esse toque do grande artista que és querido António.
Beijinhos

Beezzblogger disse...

Ora então boa viagem, disfrute e faça-nos desfrutar com estas belas fotos, de uma cidade lindíssima...


Abraços do Beezz

Menina do Rio disse...

Afff...Fiz um passeio nestas imagens e com o vinho acompanhando! Delicia!

Beijinho pra ti
:)

(.) disse...

Mais um post do meu consanguíneo José Adelino ;altez, do Blog Sobre o Tempo que Passa, para que o António, mesmo de visita pelas Hespanhas, se possa continuar a rir deste pobre condado lusitano.


Ah, e não é o presumível, é mesmo o Valdemar Rodrigues.

Abraços.
__________________________

Saiu mais um relatório do PNUD. Dizia, aqui, em 2005: a Eslovénia já passou à nossa frente. Mas ainda estamos em 27º lugar. Acrescento, hoje, que também já fomos ultrapassados por Chipre. Continuo a notar que muitos, mais de metade dos que estão nos vinte primeiros lugares, fazem parte dos que não escolheram a forma republicana de chefia de Estado.

Aliás, acima de nós, estão cerca de quinze Estados mais pequenos, em termos de dois elementos da massa crítica (população e território). Também mais de uma dezena de entidades políticas que estão acima de nós se integram no bloco que optou por modelos de descentralização, regionalização ou federação.

A maioria absoluta dos que nos superam tem tido governações que não obedecem ao gnosticismo socialista e social-democrata, demonstrando como as chamadas direitas e as chamadas esquerdas, mais liberais e mais conservadoras do que deve ser, incluindo estruturas ainda medievais, em termos constitucionais, têm produzido melhores resultados em termos de desenvolvimento humano, com mais justiça e mais felicidade. De boas intenções discursivas, está o inferno progressista cheio...

Continua a não ser por acaso que a maioria dos últimos colocados na classificação do PNUD passou por experiências de partido único, de autoritarismo e de totalitarismo, muitos dos quais muito à esquerda, muito socialistas e muito estatistas, vivendo as amarguras pós-autoritárias e pós-totalitárias, em cleptocracia, bandocracia e senhores da guerra. Não será a altura de alguns "gurus" mudarem o discurso, pondo os pés na realidade?

Por esta e por outras é que me apetece sorrir com algumas das minhas provocações iberistas, onde tento repetir gestos de Antero de Quental e Pi y Margal, rejeitando os modelos de Francisco Franco e de Olivares, mas correndo o risco de poder ser processado como traidor ao Estado a que chegámos e de não ser do agrado dos agentes do actual Estado Espanhol. Como se fosse tolo não refazermos, em aliança, as várias identidades patrióticas das Espanhas, principalmente olhando para os espaços maiores da União Europeia e do sonho ibero-americano, como me ensinaram um Gilberto Freyre ou um Agostinho da Silva. Por isso, vou reler Francisco Suárez, Fernando Pessoa e Ortega y Gasset, sem rejeitar até a imaginação criadora de José Saramago, com quem concordo nos pressupostos, mas não nas conclusões. Apesar de tudo, o Estado Espanhol, ainda está no 13º lugar da classificação PNUD.

A noção de Estado Exíguo não depende do tamanho. Depende da vontade.

Tiago R Cardoso disse...

Muito bem, excelente viagem.

Fragmentos Culturais disse...

Não há nada mais agradável do que viajar, conhecer novas paisagens humanas e geográficas!

E associar trabalho viagem é sem dúvida uma simbiose de bons momentos!
Quanto a congresso, pressuponho que deve ter sido enriquecedor, pela temática!

Fotografias muito interessantes, apesar das neblinas que se faziam sentir, belos 'apanhados', excelentes contrastes!

Votos de bom regresso [talvez até já esteja de volta]
Um abraço

Menina do Rio disse...

Passei pra te deixar um beijinho

Menina do Rio disse...

Passei pra te deixar um beijinho

Luli disse...

ANTONIO: Por favor necesito que dejes tu voz en mi blog, igual la de todos tus Amigos.

Gracias

Tiago R Cardoso disse...

Muito bem, sim senhor.

Freyja disse...

Hola querido amigo
he estado perdida por estos lados y en general de blogosfera por no encontrarme muy bien de salud
me ha dado mucho gusto llegar aqui y encontrar que andas de viaje por bellos lugares por tu trabajo, ademas haces una bitacora de todo lo que haces y bellas imagenes que acompañan
te felicito amigo y deseo de corazon que estes muy bien y compartas con todos tu viaje
te dejo muchos cariños y que te encuentres bien, mil besitos y que todo salga lindo
cuidate


besos y sueños

Zé Povinho disse...

Esperei vir aqui ler umas novidades sobre o Sapinho e sobre a nova pusada conventual.
Volto depois
Abraço do Zé

C Valente disse...

Boas fotos , continuação de uma boa viagem, e Feliz Natal
Saudações amigas