sábado, novembro 17, 2007

ESTADOS TRADICIONAIS OU PRÉ-MODERNOS


PORTUGAL É UM PAÍS QUE DESFRUTA DUMA AFIRMADA COESÃO NACIONAL E SOCIAL NO ENTANTO NÃO PRIMA PELA JUSTIÇA SOCIAL NEM PELA JUSTIÇA POLITICA, E NÃO PODEMOS AFIRMAR PEREMPTORIAMENTE QUE SEJA UM PAIS DE DIREITO. UMA DAS PROVAS É O MAU FUNCIONAMENTO DA JUSTIÇA


bom fim de semana.

20 comentários:

papagueno disse...

Em muitas coisas é um país injusto.
Um abraço.

Beezzblogger disse...

Mas claro está meu amigo, que Portugal ainda está a anos luz da maioria dos países da União, veja-se que Portugal em Justiça Social está atrás, por exemplo, da Republica Checa, em ordenados nem se fala.

Mas quando é que o nosso povo, abrirá os olhos? JAMAIS, por esta nossa mentalidade medíocre e do salve-se quem puder.

Abraços do Beezz e bom fim de semana.

Ludovicus Rex disse...

Komrad, infelizmente Abril ainda não se concretizou e já o mataram...
Estejamos atentos e lutemos por um Portugal melhor, mais justo, mais solidário...Lutemos!

Um Abraço Fraterno e Bom Fim de Semana

david santos disse...

Olá meu amigo!

Nunca um País terá uma boa justiça ou será bom,
quando o seu povo é o motor da resignação.

Abraços

ANTONIO DELGADO disse...

Caro Papagueno,
Considero Portugal mesmo muito injusto para os seus cidadãos...é ler os jornais de todos os dias com atenção.

um abraço fraterno
António Delgado

ANTONIO DELGADO disse...

Amigo Beezzblogger,

Essa do "abrirá os olhos", na sua pergunta referindo-se ao povo é precisamente a questão e, não prevejo que os benditos olhos do povo alterem a maneira de ver a realidade nos próximos decénios. Aqui como noutros aspectos da nossa vida em comum o factor educação faz a diferença...Ela alguma vez foi motivo de um real interesse nacional? Recordo-me até de se dizer que estudar muito fazia mal à cabeça e exemplificarem como certo tipo de loucuras em pessoas derivava de terem estudo demais...

Um abraço fraterno e bom fim-de-semana.

ANTONIO DELGADO disse...

Caro Ludo, na minha ingenuidade pugno por tudo isso, mas temo ser um triste D. Quixote a quem o tempo tirará todas as ilusões e sonhos! O 25 de Abril, como tu pensas, eu penso e muitos outros pensam parece que nunca se concretizará... foi um nado morto ou então está em coma. Desculpa-me o pessimismo mas há coisas que se ouvem e praticam no quotidiano mais imediato e ao nosso redor e por serem tão banais como pratica culturais, advertem-me para o que te expressei sem recorrer ao exemplos governativos ou a chavões e lugares comomuns como o liberalismo selvagem ou globalização...lamentavelmente é uma questões de mentalidades e etica ou se têm ou não!

Um abraço fraterno e bom fim-de-semana.
António

ANTONIO DELGADO disse...

Estimado David
é precisamente esse o ponto onde quero chegar ao afirmar a suposta coesão nacional/social com o contraditorio de todo o resto...

Um abraço fraterno e bom fim de semana.

Menina do Rio disse...

Aqui costuma-se dizer que a Justiça é cega mas não falha...Eu particularmente penso que ela enxerga muito bem, mas só o que convém...

Deixo um beijinho pra tu e votos de uma boa semana!

A. João Soares disse...

Oh gente ingénua e bem intencionada,
Então não vêem que tudo vai melhorar, agora que o ministérios da denominada Justiça adquiriu CINCO limusinas de luxo, de grande potência e topo de gama. Agora basta pisar o acelerador para isto avançar para a frente dos países civilizados.
Sobre este ponto, sugiro a visita ao Do Miradouro, ao post «Governantes abusam do erário».
Temos que não parar de alertar o povo para a necessidade de agir, com prioridade, em vez de nos preocuparmos demasiado com o que se passa de negativo em outros países.
Um abraço

Tiago R Cardoso disse...

Muito bem dito, nem se trata de mau funcionamento é mais não funcionamento.

quintarantino disse...

Funciona, funciona... ao seu ritmo à medida das conveniências. Basta ver agora o conjunto de magistrados vedetas que por aí anda...

Fernanda e Poemas disse...

Olá, António, gostei do teu texto.Uma boa noite amigo, com muitos beijinhos,
Fernandinha

Jorge Casal disse...

Caro António

Uma prova de que o Estado português não é um Estado moderno é o não funcionamento da Justiça. A que temos é senhorial, plutocrática, medieval. Pende para o lado do advogado melhor pago que é o do rico. Deus nos livre de cairmos nas suas garras. Qual preferem, a Justiça do Ministério da dita-cuja ou a «Justiça de Fafe» (vence o que der mais porrada), a «Justiça de Salomão» (a meias), a «Justiça de Vinhais» (a do mais forte) ou a «Justiça de Alenquer» (à toa)? [Pôr uma X onde achar melhor]. Estamos longe da Europa e dos EUA quanto a isto. Vocês acreditam nesses juizes que decidem sem que possam ser chamados à responsabilidade sobre o que decidem? (Qualquer profissional pode ser despedido por uma asneira grave) Decidem segundo «a sua consciência»... dizem os ´codigos. Mas quem nos garante que as respectivas consciências são bem formadas? (A consciência é subjectiva, ou não é?). Vejam a notícia aparecida hoje (segunda feira, 19 de Novembro) nos jornais. O tribunal da Relação de Lisboa confirmou a sentença dum tribunal do Trabalho sobre o despedimento dum cozinheiro com HIV-sida dum hotel da cadeia Sana Hoteis. Topem as justificações dos juizes: «A SIDA TRANSMITE-SE PELO SANGUE, PELAS LÁGRIMAS, PELA SALIVA, PELO SUOR...». Já agora, tambem podia dizer «pelo mau olhado» e «pelas pragas e maldições» e outros bruxedos. Ignorância e estupidez. Quem pode responsabilizar esses juizes pelas suas asneiras e prepotências? A sua cosnciência? O que eles fizeram foi a vontade do mais forte. Justiça de Vinhais.

Um abraço

Jorge Casal

ANTONIO DELGADO disse...

Cara Menina do Rio,

Também penso que ela "enxerga", aquilo que quer mas a mando de quem a move.

Obrigado pelos beijos que retribuo a dobrar e também votos de boa semana.
António

ANTONIO DELGADO disse...

Viva Amigo A. João Soares,

O sem nexo anda à solta na politica portuguesa. Essa dos carros de luxo é mais uma e, talvez ainda haja, nessa compra, a possibilidade das viaturas serem adquiridas, ao preço da chuva, pelos dignatários que as usaram depois de abandonarem os respectivos cargos.

Um abraço fraterno
António Delgado

ANTONIO DELGADO disse...

Caro T Cardoso,

Na minha modesta optica é uma enorme contradição que salta a olhos vistos e, que os sociologos e historiadores (alguns) tem por explicar.

Um abraço fraterno
António Delgado

ANTONIO DELGADO disse...

Caro Quintarantino,

O sair nos periodicos não está mal desde que seja por um bom motivo, ode fazer justiça. Mas aquela que s deseja de facto. O problema é quando o vedetismo oculta toda a má justiço que se faz, saber de antemão para onde pende. Depois tanto a investigação jornalistica como o jornalismo verdadeiro não cativarem senão alguns (muito pouco) amadores.

Um abraço fraterno
António

ANTONIO DELGADO disse...

FErnanda e Poemas,

Fico duplamente contente: por teres gostado e pelos beijos.

Para ti também muitos beijos e uma excelente semana.

António

ANTONIO DELGADO disse...

Caro Jorge,

Sabes as minhas ideias sobre a justiça portuguesa, pelos nos nossos longos passeios e coversas sobre tudo e nada e, conheces casos que te mostrei de juizes, em Espanha (apesar de não ser a melhor reerencia), que foram suspendidos da actividade por proferirem sentenças parciais. Coisa que em Portugal nunca vi acontecer. Quem diz um juiz diz outros profissionais onde o corporativismo é muito forte,tradicional, intocável e aparentemente acima da lei. A lei infelizmete não é cega e se tem pelo meio um politico, mais tarde ou mais cedo, esbarra logo para a prescrição entre outros esquemas tecnicos para safa-lo.

Um abraço
António Delgado