quarta-feira, janeiro 30, 2008

DRAMAS DE UMA GRANDE MULHER.



Por vezes imagino os lugares cheio de espíritos que no silêncio dos caminhos e por detrás das árvores nos olham e espreitam para nos atemorizar. As suas vozes murmuram em cada brisa e conspiram nas sombras das árvores e da vegetação por quase todas as sendas ermas. São sons e vozes que não entendemos mas ensombram quem ousa entrar no seu domínio. Ai vivem invisíveis, como as cidades de Italo Calvino, abandonados pelos corpos cuja luz existe perdida no espaço igual à das estrelas extintas há milhões de anos e vista em noites de luar. Cada corpo de pessoa que desaparece é uma estrela nova que surge no firmamento diz um conto... Talvez, um dia possamos ver a luz que vaguei desses corpos, perdida algures, e recuperar a sua história quando a física o permitir. A Senhora que vos mostro neste vídeo, bem como as histórias que narra e vividas por ela podem representar a memória de muitas mulheres e de muitos lugares e os dramas que neles se viveram e vivem no corpo e alma das mulheres. Mas, as histórias aqui contadas podem ser também representativas do desempenho do papel da mulher nas sociedades rurais. Histórias por vezes dramáticas vividas no silêncio que tudo devora até a memória da nossa existência...algum dia. Depois, também nós transformados nesses mesmos espíritos e talvez, aqueles que nos substituam, ao passear pelos mesmos lugares poderão sentir ou ouvir, tal como Moisés na Montanha uma voz , trazida pela brisa, dizer: “tira as sandálias dos pés, porque o lugar em que estás é uma terra santa” (Ex. 3.5).

-Voltarei a visitá-la... tal como lhe prometi!







Ps. Esta história é uma das muitas que recolho nos passeios que faço pelas povoações da minha terra. São parte de um diálogo que mantenho com ela, a sua gente e sua história.

15 comentários:

Ema Pires disse...

É terrível ouvir estas coisas. E ainda esta pobre senhora diz que agora as mulheres refilam e já não aceitam que lhes batam. Estas mulheres de antes, trabalhavam como mulas, criavam os filhos e ainda levavam tareia. Quantos destinos assim e quantas mulheres no mundo estão a sofrer e sofrerão estas situações e até coisas piores.
É para chorar. Em que mundo vivemos!
Gostei muito do vídeo.
Beijinhos

Maria disse...

Um historiador é um profissional da raça humana. Estava há pouco a rever o 1984 com o John Hurt e o Richard Burton e o meu filho ficou impressionado com as primeiras frases: "Quem dominar o passado domina o presente." Na realidade, o passado, mesmo que recente, deve ser observado. É difícil estudá-lo e analisá-lo, mais ainda nessas condições de proximidade. Mas é isso que é fazer história. Porque é demasiado óbvio e politicamente correcto comovermo-nos com as injustiças longínquas. Ter a coragem de estudar as pessoas próximas e de as dar a conhecer, nos seus dramas e na envolvência sociológica que estes revelam é que pode distinguir um historiador de um Historiador. Registar o que é importante. Envolvidos até aos cabelos na circunstância que nos marca. Muito bom o que por aqui se partilha. Do presente, a nossa dimensão de realidade. Para que o vivamos de forma interventiva. Um abraço, com admiração.

Menina do Rio disse...

São tantas vidas!
Sofridas...
Não consegui abrir os dois videos mas deu pra ter uma noção. Não é diferente de nossas mulheres.

" Elas não tem gostos, vontades,desejos nem vaidades,tem medo apenas
Quando fustigadas não choram, se ajoelham, pedem, imploram
mais duras penas"... (trecho de uma canção)

Um beijo na tua alma

Ludo Rex disse...

Magnífico exercício etnográfico. Fazes história viva, realidades de um país... Espero por mais Amigo.
Um Forte e Fraterno Abraço.
Bom Fim de Semana

Beezzblogger disse...

Realmente o estigma da mulher submissa, tolerante perante os maus tratos, estão ainda bem patentes nas mentes destas mulheres do meio rural.

Mas felizmente a sociedade, tem mudado, para bem das mulheres, e se hoje algumas são conotadas como lutadoras, como sendo mulheres fortes, eu digo que fortes eram estas para aguentar tanto mau trato, tanta miséria e sempre de sorriso nos lábios (em sentido figurativo).

Excelente, meu amigo, excelente!!!

Quero ver mais.

Abraços do Beezz

zé lérias disse...

Esta é a voz de uma gente que sofre duas vezes a tirania dos mais fortes.
Apesar dos avanços em termos de emancipação humana - devidos às revoluções, sempre feitas pelas minoria - coexistem hoje, como se vê, situações da idade da pedra lascada.
Se não fosse tanta a tristeza que me vai na alma, ao ouvir esta mulher do nosso povo, gostaria de chamar de reaccionários a todos quantos consciente ou inconscientemente pugnam para que se não colham os ensinamentos de ideias progressistas.

Este teu "trabalho" vale 20 valores.
Parabéns e um grande abraço.

C Valente disse...

Historias da vida , com a for�a que ela tem
sauda�es amigas

Tiago R. Cardoso disse...

Excelente trabalho que realiza aqui neste espaço, mais uma vez de encontro aos objectivos, que disse na rádio, para este blogue.
Muito bem.

ContorNUS disse...

Obrigada pela partilha

Excelente o conteudo do blog!!!

voltarei...

ANTONIO DELGADO disse...

OLÁ EMA...VIVA!

Dizes ser terrível ouvir destas coisas...mas nem imaginas o que me passou ao fazer todos estes vídeos. Há ainda mais quinze minutos de filme que aqui não são mostrados. Pretendi sensibilizar, os visitantes deste espaço, para a realidade existente no concelho de Alcobaça e que ninguém vê por terem as vistas tão acostumadas a nada verem . Especialmente certos políticos ou pretensiosos candidatos a políticos. O que viste é de uma naturalidade confrangedora que só fará reflectir quem tenha acesso a determinado tipo de sensibilidade. Só pr ela conseguirá perceber o alcance sociológico, antropológico histórico e etnográfico que estes pequenos registos encerram... Adorei falar com a senhora e não sabes o carinhosa que era...fiquei de voltar.

Beijos

Carreira disse...

Boa noite António.
O seu blogue está nomeado para o prémio Cegueira Lusa referente ao mês de Fevereiro.

Um abraço,

José Carreira

quintarantino disse...

Um registo apaixonante e comovonte.

Jorge Casal disse...

Quantas mulheres quantas epopeias semelhantes. Quando vejo uma mulher desta idade e desta condi�o social imagino vidas repletas de trabalho, preocupa�es, dedica�o, sacrif�cio e dor. Cada mulher do povo cada heroina

C Valente disse...

Saudações amigas e bom feriado

Maria Cristina Quartas disse...

Bom, posso fazer-lhe uma pergunta António?
- o que pretende demonstrar, com uma entrevista a uma mulher perfeitamente traumatizada, marcada, vitimizade, sem instrução e sem formção? (o que o senso comum chama de anormal). Num ambiente de total pobreza mental e espiritual, carecido a todos os níveis, o que poderiamos encontrar?
Todas aquelas cenas de violencia e subjugação...Um meio com todos os factores de risco para a desgraça!
Sabe o que senti com os seus videos? REVOLTA.
Grande mulher? Onde? Você considera uma grande mulher uma desgraçada daquelas?... Sabe o que é aquilo? é uma criatura da época do Homo Sapiens. Em que o homem arrastava a mulher pelos cabelos, e comiam com as mãos...
Se você acha uma grande mulher por levar porrada do homem, quer dizer que bem haja o homem que espanca a mulher.... faz dela uma Deusa!

Bom, já pensou vender o seu video ao canal SIC? Dava para um bom comentário sobre "ignorancia vs terania".

Olhe, aposto consigo que não precisava de sair do centro de Alcobaça ou de Turquel, para saber vidas deste género.
Ou que moro aqui no meio da "civilização" e de Doutores, ouço e vejo história parecidinhas todos os dias.

Quantos homens prepotentes, machistas, tiranos, insurrectos...completamente com quadros patológicos... não existem por ai?
E mulheres que não se respeitam, submissas, aniquiladas, deprimidas...completamente desiquilibradas e descompensadas... não existem por ai?

António, deixe estes problemas para os especialistas: policia, segurança social, psicologos....

Não se iluda amigo: o mundo é, foi e vai ser assim.
Isso de ética, cultura, justiça e fraternidade... olhe, até o imbecil faz o melhor que sabe.

Faz muito bem ser romântico, amigo do seu amigo, tolerante, compreensivo... (já tem namorada?! :-))

Faça o favor de não deprimir a gente! Queremos "Sex, Love and Rock 'n' Roll"!....

Beijinhos

CQuartas