quarta-feira, junho 13, 2007

Stº. ANTÓNIO E O MENINO




Saíra Santo António do convento

A dar o seu passeio acostumado

E a decorar num tom rezado e lento

Um cândido sermão sobre o pecado.



E andando...andando sempre

Repetia o seu divino sermão suave e brando

E nem notou que a tarde esmorecia

E vinha a noite plácida baixando



Andando... andando, viu-se num outeiro

Com árvores e casas espalhadas

Que ficava distante do mosteiro

Uma légua, das fartas, das puxadas.



Surpreendido por se ver tão longe

E cansado por haver andado tanto

Sentou-se a descansar o bom do monge

Com a resignação de quem é um santo.



O luar, um luar claríssimo nasceu

Num raio dessa linda claridade

O Menino Jesus baixou do céu

E pôs-se a brincar com o capuz do frade.



Perto, uma bica de água murmurante

Juntava os seus murmúrios ao dos pinhais

Os rouxinóis ouviam-se distantes

O luar, mais alto, iluminava mais



De braço dado para a fonte vinha

Um par de noivos todo satisfeito

Ela trazia no ombro a cantarinha

E ele trazia o coração no peito.



Sem suspeitar que alguém os visse

Trocaram beijos ao luar tranquilo

O Menino porém ouviu e disse:-

Oh, frei António, o que foi aquilo?



O frei erguendo a manga do burel

Para tapar o noivo e a namorada

Mentiu numa voz doce como o mel-

Não sei que fosse, eu cá não ouvi nada.



Uma risada límpida, sonora, cristalina

Ecoou como notas de ouro sobre o caminho.-

Ouviste frei António, ouviste agora?

- Ouvi Senhor, ouvi, é um passarinho.



- Tu não tens com a cabeça boa.

Um passarinho? E a cantar assim?

E o pobre Santo António de Lisboa,

calou-se embaraçado.



Mas por fim, corado como as vestes dos cardeais

Teve esta saída redentora-

Se o Menino Jesus pergunta mais

Queixo-me a sua Mãe, Nossa Senhora


E voltando-lhe a carinha contra o vento

E contra aquele amor, sem casamento

Pegou-lhe ao colo e disse:Jesus, são horas!

E abalaram para o convento

Augusto Gil

30 comentários:

Ludovicus Rex disse...

Bela Quadra, com iluminura à medida.

Um abraço

Freyja disse...

hoy vengo a celebrara contigo, es el dia que se celebran a Antonio
no como santo, sino como un gran amigo
un feliz onomastico querido ANTONIO, para ti mi abrazo con mucho cariño
te dejo muchos cariños y deseo que estes muy bien
el post no lo lei amigo
mil besitos


besos y sueños

papagueno disse...

Bela imagem do St António de Alcobaça. O poema está muito giro. Um abraço

A. João Soares disse...

O poema é antigo. Foi recitado comm muita arte por João Vilaret.
Mas, apesar de antigo é actual. A nós, simples habitantes de rectângulo, ingénuos como o menino da poesia, também há uma força com múltiplos braços a tapar os nossos olhos com a manga do hábito a fim de não vermos as poucas vergonhas dos governantes. Não me refiro às do sexo, porque com esse nada temos, mas comas decisões que tomam com o nosso dinheiro que é mal gasto, causa défices orçamentais e depois, para acabar com estes, temos que apertar o cinto durante tempo infinito, enquanto eles continuam a gastar cada vez mais à larga, e a avançar para projectos megalómanos sem terem o cuidado de ver se são os mais convenientes para o País.
Parabéns pelo seu santo onomástico, seu e meu,.
Um abraço

"o moço da bodega" disse...

Muito criativa a imagem de Santo Antonio, cujo a santidade minha amada mãe, neta de português, se inspirou para batizar-me:

Antonio Carlos.

Abraços.

Alzira Henriques disse...

Olá António,

Finalmente a poesia abriu caminho no Ecos...
Gostei de ler e de ver.
Como sempre nos habituaste, o teu humor continua em excelente forma.

Um abraço fraterno,

Miguel disse...

Parabéns pelo poema ...!
Ideal para esta epoca ...!

Um abraço da M&M & Cª!

Antonio Delgado disse...

Amigo Ludovicus, a iluminura é sinónima da fé local.

Um abraço fraterno
António

Antonio Delgado disse...

Muchas gracias Linda Freyja. Es siempre un honor para el blog y sus lectores tus comentarios entrañables y muy particularmente para mi.

besitos con mucho cariño y admiración desde el otro lado del atlantico...suerte
Antonio

Antonio Delgado disse...

amigo Papalagueno, este "padroeiro" já tem um lugar garantido nos mitos locais recentes.

Antonio Delgado disse...

Amigo A. João Soares, subscrevo totalmente aquilo que afirma. faz a pe4rgunta sobre se os projectos são os mais convenientes? que importa isso se o povo, na sua doçura contemplativa não tem curiosidade em saber? o problema é para aqueles que a têm dai sentirem o problema tanto no corpo como na carteira.

Um abraço.
António

Antonio Delgado disse...

Bem meu irmão Carlinhos,

Todos nós em Portugal temos os nomes inspirados nos santos da igreja catolica: José, Maria, Jesus, Antonio, Francisco, Pedro, Tomé,João etc. Em tempos era proibido dar-se nomes aos filhos (as) cuja matrix não segui-se aquela ideia. No meu caso o meu nome foi dado em homenagem ao meu avó materno, que teve um irmão no Brasil. Mas no caso do meu avó não sei a causa do seu nome.
Cordialmente
António
Um abraço carlinhos

Antonio Delgado disse...

Sear Alzira

a poesia sempre esteve implicita aos Ecos...sobretudo a POESIA VISUAL e a imagem ilustrativa deste post disso prova. Não sou eu que estou em excelente forma é o presidente da camara que faz todos os possiveis para que assim seja ele sim . Ele sim está em forma...não reaparas no que se passa no concelho?. Só tenho pena de não ter dedicação exclusiva para o tratar com a admiração que merece e deve. Mas quando forem as proximas eleições vamos elaborar uma brochura destas imagens e oferecer ao povo de Alcobaça e concelho.

Bjs.
António Delgado

Antonio Delgado disse...

Obrigado Miguel pela sua visita e felicidades para esse novo projecto.

Um abraço fraterno.
antonio

A. João Soares disse...

Parabéns.
Foi agraciado pelo Do Mirante com o prémio Blog de Tomates
Um abraço

Ema Pires disse...

Um poema engraçado para est santo a quem se reza para conseguir noivo ou encontrar objectos perdidos. Um santo que me cai bem.
Beijinhos
Ema

J.G. disse...

O Sto António de óculos, acho que sei quem é, uma figura, um figurão, que pelos vistos vocês veneram e já santificaram. SERÁ?!
Já o Menino Jesus bem crescidinho e de barba na cara, não reconheço, deve ser um menino-jesus local...

Pois que vivam felizes no convento e que Nossa senhora não se veja obrigada a dar umas palmadas no seu menino...ou lá se vai a aura!

Um abraço.

Antonio Delgado disse...

Amigo A. João Soares, obrigado por esta distinção que muito estimo e vinda de um blog como o DO MIRANTE, onde costumo contemplar as belas vistas.

Um abraço fraternal

Antonio Delgado disse...

É um Santo muito casamenteiro e também muito maroto...há histórias que dizem que ele quebrava as bilhas às miudas quando iam à fonte. Em Urkiola, no Pais Vasco há um lugar onde se venera e uma pedra fora da igreja onde as pessoas, com males de amores, dão tres voltas a ela para encontrar noivo ou noiva.

Bjs.
António

Zé Povinho disse...

Sou mesmo pitosga, primeiro li as quadras e só no final reparei que a imgem tinha algo diferente, ampliei e só então é que vi quem lá estava.
Boa imagem e bom poema.
Abraço

Antonio Delgado disse...

Caro J.G. Alguns sim alguns já o santificam-no o menino é o seu protegido. Vamos ver, neste convento, como o S. António e o Menino acabam...!

Antonio Delgado disse...

Amigo Zé Povinho
Eles têm de se ver de perto senão enganam muito...não é ser pitosga eles são assim!

Um abraço
Antonio

al cardoso disse...

Que lindo poema, bem haja por no-lo divulgar.

Um abraco beirao.

ORTOGAL disse...

De salientar na imagem o ar enternecido do menino...

MariaFaia disse...

Hello Antoine...

Rezar ao Santo para conseguir marido?! Isso é pouco. Há quem faça muito mais...
Quanta irracionalidade e falta de gosto...
Deve ser por essa razão que o menino ao colo de Stº António tem a cara tão descolorada....
Assustou-se com as rezas.

Un grand bisou...

Antonio Delgado disse...

Amigo Al Cardoso de facto o poema é gracioso dentro do seu genero e mostra bem o sentido picaro que o Stº. Antonio Tinha.

Um abraço para si e Algodres

Antonio Delgado disse...

Caro ortogal...o menino talvez esteja à espera da chucha.

Um abraço
António

Antonio Delgado disse...

Se há Maria Faia...!

bjs.
António.

Jose Gonçalves disse...

Amigo António


Se milagres desejais
Recorrei à Santo Antônio
Vereis fugir o demônio
E as tentações infernais
Foge a peste o erro a morte
O fraco torna-se forte
E torna-se o enfermo são
Recupera-se o perdido
Rompe-se a dura prisão
E no auge do furacão
Cede o mar embravecido
Se moderam se retiram
Todos os males humanos
Digam-no aqueles que o viram
E Digam-no os paduanos
Gloria ao Pai ao Filho e ao Espirito Santo
Rogai por nós bem aventurado Antônio para que sejamos dignos das promessas de Cristo , Amem .

Uma reza, creio que brasileira
(É Carlinhos?) a Stº António de Pádua, que isto já não vai lá de outra maneira.
Um abraço
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Esqueceu-me de acrescentar um pequeno aviso...
É que estes "santinhos" da postagem não fazem milagres... ou talvez façam quem sabe??????
José Gonçalves