sábado, maio 24, 2008

RANKING


Um texto enviado por mail pelo meu querido amigo D.M.C. e que tenho o prazer de publicar.

A grande cabeça pensante deste Governo, o ministro das Finanças Teixeira dos Santos, desde Agosto de 2007 que nos andou a impingir a ideia de que os efeitos do “subprime” dos EUA não chegariam a Portugal devido às sábias políticas por ele adoptadas e pelo Governo democrático e maioritário do PS, no que foi acompanhado pelo inefável e infalível Constâncio, que aguarda paciente, patriótica e sacrificadamente pela reforma de cerca de 25.000€ do Banco de Portugal para finalmente “basar”.
Recentemente, com lata e desfaçatez, disse que quer a UE quer o FMI estavam enganados em prever para Portugal reduções do crescimento do PIB para 2008, porque não sabiam do que falavam. Ele um “expert” do assunto é que tudo sabia e nunca falhara. Passados poucos dias, com um ar sério, anunciou ao País, que a previsão do crescimento do PIB para 2008 passava de 2,2 para 1,5%, o que significa para já mais um substancial rombo nas reformas e nos aumentos dos funcionários públicos em 2009...
A “holding” «Movimento O Que Tu Pias» cujo único sócio é um economista de “meia-tijela” e não-praticante esclarece o ainda Ministro das Finanças que a crise do “subprime” prevê-se venha a ter quatro fases até 2010, a primeira das quais vivemos e será a de menores consequências nas economias de mercado. O pior está para vir. A crise do “subprime” tem como origem a actividade da “banca de casino” que explorou os americanos pobres com taxas de juro especulativas.
Portugal, seguindo as boas práticas ultraliberais, com a atenta supervisão do Banco de Portugal, também cá já tem esses tipos de bancos a actuar livremente, cedendo créditos ao consumo aos aflitos dos portugueses a Taxas de Juro Anuais de mais de 30% (GE Money, BBVA, Cetelem, Santander, Cofidis, é uma carrada delas). Um escândalo financeiro brutal autorizado pelo poder político e obviamente pelo Banco de Portugal.
Estas crises do “subprime” são a consequência natural da actuação ultraliberal da “banca de casino”, cujos efeitos nefastos na vida das famílias até os dois últimos Papas denunciaram, num mundo em “globalização”, em que o poder político é uma marionete da alta finança e dos especuladores bolsistas, promove agora a especulação energética e dos produtos alimentares, consequência do desenvolvimento acelerado de economias orientais que conceberam, desviando para esses países a produção e a exploração dos povos e das condições ambientais. Tal política origina nesses países o aumento brutal do consumo de bens energéticos e alimentares. É a chamada “pescadinha de rabo na boca” que visa a destruição da classe média dos países ocidentais e o fim do Estado Social…
Devido à reconhecida competência do «Bloco Central de Interesses» a Comissão Europeia divulgou no relatório de 2007 (mas com dados de 2005) que Portugal foi o pior país da EU na distribuição da riqueza, mesmo piores que os EUA, os campeões da batota e da “banca de casino”….
Agora parece que devido à sábia actuação deste Ministro das Finanças e deste Governo do PS já somos penúltimos, uma autêntica glória, dizem como sempre que melhorámos a enormidade de 0,1%, e já estamos à frente da Letónia, corrigiu o Sapientíssimo Ministro de Estado o Mestre Pedro da Silva Pereira, um crente em tudo, mesmo nele.
A safa dos pobres é que a fome não tem aumento de preço, daí que, quantos mais portugueses tiverem fome mais imunes estarão à inflação e às políticas ultraliberais do «Bloco Central de Interesses».
Assim temos: os ricos são cada vez menos mas cada vez mais ricos; os pobres são sempre mais e mais pobres; a classe média é coisa para desaparecer.
Este é o objectivo final e o resultado da prossecução das políticas ultraliberais do «Bloco Central de Interesses» e da ideologia subjacente lançada pelo “Compromisso Portugal” com o grande patriota de “sacola laranja” Diogo Vaz Guedes à cabeça.
É por isso que em Portugal e em toda a Europa, é que eles, os políticos profissionais, quando “basam” da política vão servir quem já serviram...
Há quem preveja que não demorará muito, um protesto de rua espontâneo e generalizado aos subúrbios das grandes cidades, por essa Europa fora, que fará com que os profissionais da política arrepiem caminho, mudem de vida e de carris, porque a política está completamente subjugada ao poder económico a da alta finança e os políticos profissionais obviamente também.
Dizem que o povo deixou de poder contar com os Partidos (alternantes) do Poder, que também estão manietados pelo poder económico e da alta finança, aqui e por toda a Europa. A democracia política tem que se reinstalar e reassumir o poder económico e financeiro, e a soberania terá que voltar a residir no povo.
O inevitável protesto popular, fruto da escandalosa precaridade do trabalho, do desemprego e da desmantelação em curso do Estado Social, será espontâneo e muito provavelmente incontrolável e violento, com possível envolvimento das próprias forças da ordem. Quando começar alastrará como fogo posto em floresta virgem.

DMC

M3C’s – Movimento Cuidado Cas Carteiras
MESGA - Movimento Estamos a Ser Gamados

14 comentários:

A. João Soares disse...

Caro A. Delgado,
Há dias pensei fazer um post sobre estas injustiças sociais, mas a disposição e outras solicitações fizeram-e adiar. Agora dei com este texto com óptima qualidade, e não resisti à tentação de ajudar a dar-lhe mais divulgação e transcrevi-o no Do Miradouro e no Do Mirante.
Não ficou com boa qualidade mas não está mal!
Um abraço
A. João Soares

Menina do Rio disse...

Quero ver quando a classe média se estinguir...afinal é a classe média que sustenta a economia!

Tem um bom domingo

Beijinhos

david santos disse...

Excelente trabalho, António!
Parabéns.

O Guardião disse...

Haja quem vá agitando este pântano.
Cumps

Jorge Casal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jorge Casal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jorge Casal disse...

A coisa está negra; cada vez mais negra. A fome vai alastrando. Foi o capitalismo liberal do s�c. XIX (como o que se vai implantando hoje) que fez eclodir o Marxismo e o ideario comunista - e que que provocou muitas guerras e fez florir muito heroismo. Foi para remediar a tudo isto que o Capitalismo criou o Estado Social, esse mesmo Estado Social que os liberais estao actualmente a desmantelar. Avisam-se os governantes, banqueiros, politicos de direita e outros economistas que, por este caminho, teremos de novo a Internacional cantada em unissono nas pracas com o agitar de bandeiras pretas (da fome) e vermelhas(da revoluçao) a animar as ruas. Tambem vos digo, caros bloggers (e isto fica aqui entre nos...), que ja tenho saudades dessa animaçao de rua! Venha ela.

Mile disse...

Se não houver uma política de Estado Social a nível mundial, o mundo em breve vai voltar a pegar fogo. O capitalismo esqueceu de facto o porquê do Estado Social e os trabalhadores ... vão encaixando porque temem o desemprego e se esquecem que, quando unidos, têm uma força imparável.
Era melhor que isto se resolvesse civilizadamente.

C Valente disse...

Descoberta da UE, que nós portugueses há muito o sabemos, mas quem acredita em nós,nos politicos muito menos,
Saudações amigas

Arte & Liberdade disse...

Não me lo digas... o A!
,,, o ZEIGEIST já está no papo, hoje!... o Aristo... judaico... isso é uma velha estória, com mais de 40 anos (deixa-me passar o recado)...
So, as brilhantes mentes...descobrem a pólvora, depois de um milhar de anos após os Chineses. Amazing!
... e é que já há motores a ar comprimido.... digo "à pressão"...
nem dá para fritar batatas... topam?
Respirem, enquanto puderem!

(.) disse...

Com mais um bocadinho de "eprit géometrique" e a coisa está defunta. O pior é que mal alastrou já a todo o Ocidente, que talvez deva começar a escrever-se com minúscula. É o poder das marionetas e o triunfo dos Titãs de linhagem que agora já podem entreter-se nas suas guerras sem cuidar que o povo existe.

Que o inferno os receba pois, a todos.

Valdemar

mitro disse...

Devemos mecher-lhes onde doi mais: Nas carteiras!
O protesto agendado para os dias 1, 2 e 3 de Junho com o boicote às gasolineiras BP, GALP e REPSOL, pode ser o 1º demuitos, com reais efeitos nas carteiras dos ladrões (políticos, especuladores e parasitas afins).

mitro disse...

(tava tão furibundo que até escrevi mal!)
não é "mecher-lhes" é "mexer-lhes"

ups!

Savonarola disse...

Que surja o mais depressa possível este amplo movimento de massas. Portugal é um bom ponto de começo, por todas as razões que conhecemos. Este governo Sócrates não devia chegar ao fim do mandato. Basta!

Saudações anarquistas