sexta-feira, maio 30, 2008

ARTIGO DE MÁRIO CRESPO. DN 26/5/2008



Por que não nacionalizar?

Mário Crespo, JornalistaSe o mercado não consegue disciplinar os preços, os lucros nem o selvático prendar dos recursos empresariais com os vencimentos multimilionários dos executivos, então por que não nacionalizar os petróleos e tentar outros modelos? Quem proferiu este revolucionário comentário foi Maxine Waters, Democrata da Califórnia, durante o inquérito conduzido pelo Congresso, em Washington, às cinco maiores petrolíferas americanas. Face à escalada socialmente suicidária dos preços dos combustíveis, o órgão legislativo americano convocou os presidentes para saber que lucros tinham tido e que rendimentos é que pessoalmente cada um deles auferia. Os números revelados deixaram os senadores da Comissão de Energia e Comércio boquiabertos. Desde os 40 mil milhões de dólares de lucro da Exxon no ano passado, ao milhão de euros mensais do ordenado base do chefe Executivo da Conoco-Phillips, às cifras igualmente astronómicas da Chevron, da Shell e da BP América. Esta constatação do falhanço calamitoso do mecanismo comercial, quando encarada no caso português, ainda é mais gritante. Digam o que disserem, o que se está a passar aqui nada tem a ver com as leis de oferta e procura e tem tudo a ver com a ausência de mercado onde esses princípios pudessem funcionar.Se na América há cinco grandes empresas que ainda forçam o mercado a ter preços diferentes, em Portugal há uma única que compra, refina, distribui e vende. É altura de fazer a pergunta de Maxine Waters, traduzindo-a para português corrente- Se o país nada ganhou com a privatização da Galp e se estamos a ser destruídos como nação pela desalmada política de preços que a única refinadora nacional pratica, porquê insistir neste modelo? Enunciemos a mesma pergunta noutros termos - Quem é que tem vindo sistematicamente a ganhar nestes nove anos de privatização da Galp, que alienaram um bem que já foi exclusivamente público? Os espanhóis da Iberdrola, os italianos da ENI e os parceiros da Amorim Energia certamente que sim. O consumidor português garantidamente que não. Perdeu ontem, perde hoje e vai perder mais amanhã. Mas levemos a questão mais longe houve algum ganho de eficiência ou produtividade real que se reflectisse no bem-estar nacional com esta alienação da petrolífera? A resposta é angustiantemente negativa. A dívida pública ainda lá está, maior do que nunca, e o preço dos combustíveis em Portugal é, de facto, o pior da Europa. Nesta fase já não interessa questionar se o que estamos a pagar em excesso na bomba se deve ao que os executivos da Galp ganham, ou se compram mal o petróleo que refinam ou se estão a distribuir dividendos a prestamistas que exigem aos executivos o seu constante "quinhão de carne" à custa do que já falta em casa de muitos portugueses. Nesta fase, é um desígnio nacional exigir ao Governo que as centenas de milhões de lucros declarados pela Galp Energia entrem na formação de preços ao consumidor. Se o modelo falhou, por que não nacionalizar como sugeriu a congressista Waters? Aqui nacionalizar não seria uma atitude ideológica.Seria, antes, um recurso de sobrevivência, porque é um absurdo viver nesta ilusão de que temos um mercado aberto com um único fornecedor. Se o Governo de Sócrates insiste agora num purismo incongruente para o Serviço Nacional Saúde, correndo com os existentes players privados e bloqueando a entrada de novos agentes, por que é que mantém este anacronismo bizarro na distribuição de um bem que é tão essencial como o pão ou a água? Como alguém já disse, o melhor negócio do Mundo é uma petrolífera bem gerida, o segundo melhor é uma petrolífera mal gerida. Na verdade, o negócio dos petróleos em Portugal, pelas cotações, continua a ser bom. Só que o país está exangue. Há fome em Portugal e vai haver mais. O negócio, esse, vai de vento em popa para o Conselho de Administração da Galp, para os accionistas, para Hugo Chávez e José Eduardo dos Santos. Mas para mais ninguém. A maioria de nós vive demasiado longe da fronteira espanhola para se poder ir lá abastecer.

Este artigo dá-nos mais força para fazermos o boicote à GALP!
......................
......................
Junto ao problema dos combustíveis está a crise financeira internacional sobre a qual a UE parece associar os salários dos altos executivos e as indeminizações milionários. Estes temas foram discutidos na imprensa europeia, faz um dias mas parece que em Portugal se desviou a atenção sobre o assunto. Faço um link para o Jornal EL PAIS ,do dia 11 de Maio, para que possam ver o que a UE pensa do assunto.

17 comentários:

Lúcia Duarte disse...

oportuna esta postagem.
Vá pessoal, em 3 dias podemos mostrar que temos força!

Beezzblogger disse...

Ora não podia estar mais de acordo com o Dr. Mário Crespo, pessoa que denota grande isenção e idoneidade. Mas ando tudo enganado, só falam na carga fiscal que o governo cobra, aliado a isso, deviam falar realmente na VERDADE como o Dr. Mário Crespo.

Eu, infelizmente uso GALP Frota, pois tenho carro de empresa, mas no meu particular, nem uma gota destas 3 grandes lá entra à muito tempo...

Mas numa acção concertada, não abastecerei nos dias que determinarem na GALP, tentarei boicotar, dentro dos possíveis esta corja de sangue sugas.

Abraços do Beezz

FRANCISCO T PAIVA disse...

Além dos exílios dourados da malta de são bento, há que sustentar as máfias da OPEP, dos EUA, do Irão, da Venezuela, da Rússia, de Angola, entre outros comparsas, cujas "excentricidades" filantrópicas pagamos diariamente.

Depois, há a malta das autoestradas, dos viadutos, das concessões, do Imposto Automóvel,...

A. João Soares disse...

Normalmente sugiro muita reflexão ates de serem tomadas medidas de longo alcance. Mas, agora, neste caso, é preciso fazer qualquer coisa bem visível, porque nada pode piorar, tal é o estado miserável a que isto já chegou.
Estou agora a ouvir que a GALP vai reduzir um cêntimo nos preços de gasolina e gasóleo. Já será efeito da prova de força dos clientes em 1, 2 e 3? Se não for, a atitude dos clientes terá resultados, pelo menos mostra que o povo é capaz de tomar uma atitude concertada.
O povo tem de se unir.
E seria bom que as pessoas combinassem as boleias para não andar uma única pessoa num carro. Entre a casa e o emprego podia haver combinações úteis para ambas as partes.
Abraços
A. João Soares

C Valente disse...

A Galp era nacionalizada, mas tão apetitosa, para tantos politicos e não só, Foi privatizada, a selvejaria
Saudações amigas

Ema Pires disse...

Nao podemos esquecer que tudo isto também o devemos ao "sr." Bush e à sua guerra do Petróleo no Iraque.

A. João Soares disse...

Caro António,
Volto para o felicitar por ter aqui colocado o link do El País.
Não resisti à tentação de o inserir no Do Miradouro, por se coadunar com o conceito de «tachos douraos», (semelhante no título ao «apito dourado») e de pensões milionárias» que tenho vindo a referir. No post referi que fui inspirado pelo link deste blog.
Muito obrigado pela qualidade dos seus posts.
Um abraço
A. João Soares

Zé Povinho disse...

O artigo deve ter escandalizado muita gente, mas o que é verdade é que os pressupostos de muitas privatizações, o da sã concorrência e da baixa de preços aos consumidores dos serviços e produtos, não se verificou, pelo contrário, e a margem de intervenção e fiscalização do Estado já demonstrou ser insuficiente e pouco eficaz.
O poder económico domina o poder político e a promiscuidade entre os dois é mais do que evidente.
Bom domingo
Abraço do Zé

Mile disse...

Obrigada de novo, por denunciar. Algo temos que fazer e muito podemos conseguir denunciando. Vou difundir o artigo do link por email.

Um abraço

Mile

FRANCISCO T PAIVA disse...

ver
http://vila-do-paul.blogspot.com/2008/05/correio-do-leitor.html

lica disse...

dando uma bofetada no discurso patético do nosso 1º ministro, segue uma listagem do que é o País do Governo Sócrates:

-Uma adolescente de 16 anos pode fazer livremente um aborto mas não pode pôr um piercing.

-Um cônjuge para se divorciar, basta pedir.

-Um empregador para despedir um trabalhador que o agrediu precisa de uma sentença judicial que demora 5 anos a sair.

-Na escola um professor é agredido por um aluno. O professor nada pode fazer, porque a sua progressão na carreira está dependente da nota que dá ao seu aluno.

-Um jovem de 18 anos recebe €200 do Estado para não trabalhar; um idoso recebe de reforma €236 depois de toda uma vida do trabalho.

-Um marido oferece um anel à sua mulher e tem de declarar a doação ao fisco.

-O mesmo fisco penhora indevidamente o salário de um trabalhador e demora 3 anos a corrigir o erro.

-O Estado que quer gastar 6 mil milhões de euros no novo Aeroporto da Ota
recusa-se a baixar impostos porque não tem dinheiro.

-Nas zonas mais problemáticas das áreas urbanas existe 1 polícia para cada 2 000 habitantes; o Governo diz que não precisa de mais polícias.

-Numa empreitada pública, os trabalhadores são todos imigrantes ilegais, que recebem abaixo do salário mínimo e o Estado não fiscaliza.

-Num café, o proprietário vê o seu estabelecimento ser encerrado só porque não tinha uma placa a dizer que é proibido fumar.

-Um cão ataca uma criança e o Governo diz que vai fazer uma lei.

-Um professor é sovado por um aluno e o Governo diz que a culpa á das causas sociais.

-O IVA de um preservativo é 5%. O IVA de uma cadeirinha de automóvel, obrigatória para quem tem filhos até aos 12 anos, assim como o das fraldas descartáveis, é 21%. A coca-cola paga 5%

-Numa entrevista à televisão, o Primeiro-Ministro define a Política como “A Arte de aprender a viver com a decepção”.

-Um polícia bate num negro é uma atitude racista, um bando de negros mata 3 polícias, não estão inseridos na sociedade.

- Um clube inscreve um jogador mal, são lhe retirados 6 pontos, um clube suborna um arbitro são lhe retirados 6 pontos.

- O café da esquina fechou porque não tinha WC para homens, mulheres e empregados, no Fórum Montijo a WC da Pizza Hut fica a 100mts, nem tem local para lavar mãos.

- O governo incentiva as pessoas a procurarem energias alternativas ao petróleo e depois multa quem coloca óleo vegetal nos carros porque não paga ISP (Imposto sobre produtos petrolíferos).

- O ministério do ambiente incentiva o uso de meios alternativos ao combustível, no edifício do ministério do ambiente não há estacionamento para bicicletas, nem se sabe de nenhum ministro que utiliza a bicicleta.

- Nas prisões é distribuído gratuitamente seringas por causa do HIV, mas como entra droga nas prisões?

- No exame final de 12º ano és apanhado a copiar chumbas o ano, o Primeiro Ministro fez o exame de inglês técnico em casa e mandou por fax e é Engenheiro.

- A inflação para ter os valores que tem, é baseado em que produtos? Eis a lista:

ÁGUA DE MARIALVA, MARGARINA MARIA INÉS, PAO DE TRIGO DAS BERLENGAS, SAL PURIFINADO DAS ILHAS SELVAGENS, COUVE DE AMARELEJA, FEIJAO BANHA, CARNE DE SUINO ISRAELITA, LEITE DE LAMA, AZEITE IMPORTADO DO SURINAME, BANANAS DA ISLANDIA, FRALDAS DESCARTAVEIS PARA ADULTOS COM 2,15 MTS, PASSE SOCIAL ENTRE AS ILHAS SELVAGENS, CARNE DE DINOSSAURO, PEIXE RARO, CAMARÃO DE TROMBA ARREGAÇADA, CHOCOS COM TINTA TRANSPARENTE, ALHOS DO SRILANKA, AZEITONAS DA GUATEMALA, LIMOES DO SARA OCIDENTAL, ARROZ DA JORDANIA, CARACOIS DA MONGOLIA, TOMATES DE LILLIPUT E SABÃO MERCURIAL DA ETIÓPIA.

Com estes produtos e a sua variação anual se fixa a taxa de inflação em Portugal de 2,1%

- Um jovem de 14 mata um adulto, não tem idade para ir a tribunal, um jovem de 15 leva um chapada do pai, por ter roubado dinheiro para droga é violência doméstica.

- Uma família a quem uma casa ruiu e não tem dinheiro para comprar outra o estado não tem dinheiro para fazer uma nova, tem de viver conforme podem, 6 presos que mataram e violaram idosos numa sela de 4 e sem wc privado, não estão a viver condignamente e associação de direitos humanos faz queixa ao tribunal europeu.

- Militares que combateram em África a mando do governo da época não lhes é reconhecido nenhuma causa nem direito de guerra, o primeiro-ministro elogia as tropas que estão em defesa da pátria no KOSOSO, AFEGANISTÃO E IRAQUE.

- Começas a descontar em Janeiro o IRS e só vais receber o excesso em Agosto do ano que vem, não pagas as finanças a tempo e horas passado um dia já estas a pagar juros.

- Fechas a janela da tua varanda e estas a fazer uma obra ilegal, constrói-se um bairro de lata e ninguém vê.

- Se o teu filho não tem cabeça para a escola e com 14 anos pões a trabalhar contigo num oficio respeitável, é exploração do trabalho infantil, se és artista e o teu filho com 7 anos participa em gravações de telenovelas 8 horas por dia ou mais a criança tem muito talento, sai ao pai ou à mãe.

- O primeiro-ministro diz que o serviço de saúde com as medidas tomadas está mais prático e eficiente, não há registo de na última década alguém ter visto, ministro, esposa ou enteados nos SAP´s.

O Guardião disse...

Quem acreditou que as privatizações iriam criar um mercado justo, com preços mais baratos, e que se regulava a si próprio, deve estar desiludido. O liberalismo selvagem, de que os EUA são a grande bandeira, têm uma (várias agora) lei anti trust por alguma razão, e mesmo assim sempre tiveram grandes dificuldades nessa matéria.
Menos estado, melhor estado, apregoavam, mas nunca nos disseram para quem ia ser melhor...
Cumps

Menina do Rio disse...

Essencial como pão e água?
Taí uma boa sugestão; carros movidos a água...Uma turbina no lugar do motor.

Deixo-te um beijo terno deste lado de cá do mar
Tem uma ótima semana

SILÊNCIO CULPADO disse...

António Delgado
Eu bem adiro às iniciativas mas o portuga gosta de apanhar nas lonas.
O boicote saiu fiasco.

Abraço

Lúcia Duarte disse...

sinceramente nao acho que o boicote tenha sido um fiasco. isso é o que dá jeito passar como mensagem na comunicação social.
só quem não conhece os jogos politicos é que não percebe a manipulação.
por exemplo, aqui em alcobaça deu resultado.
tive o cuidado de fazer várias passagens nas bombas e onde vi mais gente foi na cooperativa agricola.
e tambémfoi "oportuno" passar esta mensagem no 2º dia do boicote

FRANCISCO T PAIVA disse...

Para entender as razões de fundo da Golp, ver
http://sol.sapo.pt/blogs/miguelportas/archive/2008/05/31/300-_1820_paus_1920_.aspx#722659

C Valente disse...

Eu não foi meter gasoleo nestes dias , e quando for vou a uma marca branca supermercado Jumbo
Saudações amigas